Uma dor na panturrilha que costuma aparecer enquanto a pessoa está caminhando e desaparecer quando ela para.

Conhecido pelos especialistas por claudicação intermitente, esse sintoma é muito comum em quem tem problemas de circulação arterial nas pernas que – nos casos mais graves – podem levar à amputação dos membros inferiores. Aproximadamente 5% da pessoas, em especial na faixa etária dos 55 a 60 anos de idade, sofrem com o distúrbio.

A claudicação intermitente é consequência da diminuição da circulação do sangue nas pernas, provocada pelo acúmulo de placas de gorduras nas artérias.

A pessoa passa a sentir dores ou sensação de peso, principalmente, na panturrilha, durante a caminhada, o que a obriga suspender a atividade física para obter alívio desses incômodos.

“Controlar a obesidade é uma das maneiras de evitar esse problema”, observa José Luís Camarinha do Nascimento Silva, presidente da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV). Além dela, outros fatores de risco estão associados à enfermidade, como hipertensão arterial, tabagismo, altos níveis de colesterol e triglicérides, diabetes mellitus, sedentarismo, estresse e histórico familiar.

Angiologista

A dor provocada pela doença, muitas vezes, é confundida com as dores das varizes. De acordo com o cirurgião vascular José Luiz Cataldo, a dor da claudicação intermitente surge apenas quando uma pessoa inicia uma atividade física.

“Já a dor de varizes costuma aparecer no fim do dia como uma sensação de peso nas pernas, que pode durar várias horas e muitas vezes se acompanha de inchaço”, esclarece o especialista.

Indicativa de doenças vasculares, a claudicação intermitente pode ser confundida por leigos com outros problemas, como uma lesão muscular.

“Muitas vezes a pessoa com o sintoma evita procurar um médico, esperando a dor passar, ou se aconselha com profissionais que não estão aptos a fazer um diagnóstico preciso”, explica o cirurgião vascular Sergio Leal de Meirelles.

Por essa razão, a SBACV está promovendo uma campanha -ancorada pela veiculação de outdoors em todos os estados -com objetivo de esclarecer à população que o angiologista e o cirurgião vascular são os profissionais habilitados para diagnosticar e tratar males circulatórios, tais como claudicação intermitente, aneurisma, varizes e entupimento das carótidas (artérias que levam o sangue ao cérebro).

Os casos mais leves de claudicação intermitente são tratados com medicamentos chamados vasodilatadores, que dilatam os vasos permitindo aumento do fluxo de sangue e oxigênio.

Num estágio mais avançado – no qual a pessoa sente dores mesmo durante o descanso – o tratamento pode ser endovascular ou cirúrgico. Entretanto, melhor do que remediar é evitar o aparecimento do problema. Nos casos mais graves, a minoria dos casos, o paciente corre o risco de ter a sua perna amputada.

Hábitos positivos

* Fazer exercícios regularmente
* Combater a obesidade
* Verificar com frequência os níveis de colesterol e triglecerídeos
* Controlar o diabetes
* Tratar a hipertensão

Campanha nacional

Aneurisma de aorta abdominal, varizes, claudicação intermitente, entupimento das carótidas. Estes problemas acometem a saúde de uma grande parcela da população brasileira que, devido à falta de informação, negligencia a prevenção.

Com o objetivo de esclarecer sobre a importância de cuidados com essas doenças nas veias e artérias, e da busca de orientação do angiologista, a Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular promove uma campanha nacional até setembro. Informações no site www.sbacv.com.br