No dia 22 de março, médicos de Curitiba participam do curso sobre Hipertensão do Grupo de Estudo no Rastreamento Arterial (GERAR). A iniciativa reúne médicos e pesquisadores de diferentes especialidades, entre elas, cardiologia, geriatria e cirurgia vascular, com o objetivo de promover o avanço e o aperfeiçoamento das diversas patologias relacionadas à doença arterial no Brasil. Com o apoio da Libbs Farmacêutica, o grupo discutirá os avanços em tecnologia de diagnósticos da doença aterosclerótica em três cidades brasileiras: Curitiba, Rio de Janeiro e Brasília.  

Segundo o coordenador executivo do GERAR, Dr. Wagner C. Pádua Filho, o grupo de estudos foi criado para estudar a fisiopatologia das doenças arteriais, como aterosclerose, hipertensão arterial, dislipidemias, doença arterial obstrutiva periférica, etc., tendo como objetivo o diagnóstico precoce, por meio da divulgação dos principais fatores de risco para seu desenvolvimento. ?Faremos a integração dos conhecimentos fisiopatológicos e dos métodos diagnósticos disponíveis para rastrear clinicamente a doença aterosclerótica de maneira precoce?, afirma ele.  

A doença aterosclerótica, ou aterosclerose, é um processo que se inicia na infância, porém manifesta seus aspectos clínicos na vida adulta do paciente. Por ser uma doença multifatorial, quanto maior o número de fatores de risco, maior o grau e gravidade da doença aterosclerótica coronariana. Os fatores de risco que têm sido identificados são dislipidemia (alteração nos lípides, ou seja, colesterol total, HDL, LDL e triglicérides), hipertensão arterial, diabetes mellitus, tabagismo e sedentarismo. Portanto, são definidos como suscetíveis à doença aterosclerótica homens com mais de 45 anos e mulheres com mais de 55 anos, com histórico familiar precoce da doença, portadoras de hipertensão arterial e/ou diabetes mellitus e, também fumantes. 

Segundo especialistas, uma alimentação adequada, sobretudo com baixo teor de gorduras saturadas, perda de peso para aqueles que possuem sobrepeso ou obesidade, bem como atividade física regular, reduzem o risco para a aterosclerose, e seguramente fazem parte do tratamento dessa doença. ?Para aqueles indivíduos que não atingem as metas de lípides, ou seja, de colesterol e triglicérides, apenas com modificações comportamentais, o uso continuado de drogas que reduzem os lípides é prática indispensável?, explica o Dr. Wagner. 

Para abordagem e discussão de todos os assuntos, foi desenvolvido um programa científico, dividido em três módulos, com carga horária de 3 horas por módulo. A participação no curso vale pontos para revalidação do título de especialista em cardiologia.