O estresse provoca perda da memória e bloqueia os circuitos que imprimem as recordações no cérebro, em especial as mais breves, segundo um estudo realizado por especialistas da Universidade de Yale e publicado na revista especializada “Science”.

De acordo com os resultados dessa pesquisa, o estresse de intensidade de média a alta (como, por exemplo, o que sofrem algumas pessoas antes de provas ou diante de uma situação da qual têm pouco controle) ativa uma enzima no cérebro chamada proteína “C reativa”. Essa proteína prejudica a memória de curto prazo e outras funções do córtex cerebral pré-frontal ligadas à capacidade de tomar decisões.

O informe explica que a “C reativa” está também ativa no cérebro de pessoas que sofrem desordens mentais bipolares e esquizofrenia.

Amy Anderson, que liderou a pesquisa, disse que o descobrimento de que o estresse “excita a atividade dessa proteína abre caminho para a pesquisa de novos remédios que inibam esse mecanismo de ativação”.