Estudo feito pela Universidade Federal de Minas Gerais afirma que jovens que mostram menos comportamentos considerados saudáveis percebem a própria saúde como ruim.

Os achados não são muito animadores. De acordo com artigo, foram analisados dados da Vigitel de mais de 14 mil pessoas entre 18 e 29 anos de idade, nas 27 capitais do país, em 2006.

No estudo foi considerado saudável quem não fuma, pratica atividade física regular e consome frutas/hortaliças cinco ou mais dias na semana. Os resultados da pesquisa apontaram 8% de jovens saudáveis, 39,6% com dois comportamentos saudáveis, 45,3% com apenas um e 7% com nenhum.

Conforme os pesquisadores, o comportamento saudável foi mais frequente entre os entrevistados com idade entre 25 e 29 anos, escolaridade maior que nove anos de estudo e que relataram haver local para praticar esportes próximo à residência.

Além disso, a frequência de comportamento saudável foi significativamente menor entre participantes que relataram cor de pele parda ou preta, consumo de leite integral e de carne vermelha ou frango com gordura, estar em dieta e ter autopercepção da saúde ruim.

Para os cientistas, o fato de jovens mais saudáveis terem maior escolaridade, serem de cor branca e morarem próximo a locais de fácil acesso aos equipamentos esportivos sugere desigualdades no acesso a práticas saudáveis.