Há quem prefira o conforto de edredons e lareiras. Mas quase ninguém nega: verão é a estação do sexo, principalmente no mês de fevereiro, com a chegada do Carnaval. Corpos suados, exuberância dos decotes, roupas curtas, enfim, as pessoas se preparam o ano todo para mostrar o físico neste período. E não tem idade para estar com a sensualidade aflorada. Um novo perfil do comportamento sexual acaba de ser lançado no Brasil e no mundo. Trata-se do Vitalsexual ? um homem acima dos 40 anos que prioriza o sexo e a qualidade da relação sexual, bem como a satisfação da sua parceira. Mais da metade dos brasileiros (53%) se enquadra nesse conceito. A pesquisa ?A atitude dos homens quanto à vida sexual?, foi conduzida pelo Instituto IPSOS e apoiada pela Bayer HealthCare.

Para o Vitalsexual brasileiro, o sexo é um fator fundamental para a qualidade de vida, tanto que ele (77%) sente saudade da performance sexual de quando era mais jovem e 79% gostariam de ter tido uma vida sexual melhor nos últimos cinco anos. Por isso, 84% não hesitariam em tomar um medicamento para melhorar o seu desempenho entre quatro paredes. 

Em termos de medicamento, o Levitra®, lançado pela Bayer em abril de 2003, é o tratamento mais específico para o combate da DE (disfunção erétil), sendo mínimos os possíveis efeitos colaterais. Tendo como princípio ativo o Vardenafil, o remédio inibe a enzima 5-fosfodiesterase, que atua na célula provocando o relaxamento da musculatura do pênis. Na opinião do médico urologista Fernando Lorenzini, é o medicamento com melhores características farmacodinâmicas, comparando com os demais remédios que visam combater a DE. ?Sempre faço palestras sobre esse tema e prescrevo o Levitra® por ser a substância que tem maior potência in vitro?, destaca. Por ser mais específico, o medicamento da Bayer reduz a chance de haver efeitos colaterais.

Pesquisa

A maior pesquisa sobre o tema já realizada no País revelou que 54% dos brasileiros (cerca de 25 milhões) sofrem de algum problema de ereção. O estudo, feito pelo ProSex (Projeto Sexualidade), do Hospital de Clínicas de São Paulo, em parceria com a Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), ouviu 71.503 brasileiros, de 20 e 103 anos. Cerca de 1 milhão de novos casos são registrados no Brasil por ano.