Assim como as mulheres precisam examinar periodicamente as mamas e os homens com mais de 50 anos de idade devem passar por exames para verificar a existência de câncer na próstata, devemos atentar para os sinais do câncer de boca.

Conforme dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), este tipo de tumor é o oitavo de maior incidência no Brasil. A cada ano surgem quase 15 mil novos casos da doença.

Como em outros tipos de cânceres, o diagnóstico precoce é a melhor arma para reduzir o número de vítimas. No entanto, cabe uma informação alarmante: cerca de 40% dos registros de câncer bucal acabam em morte. Isso acontece porque 70% dos diagnósticos são feitos quando a lesão atingiu um estágio avançado.

O que mais preocupa é que este tipo de câncer é bem fácil de investigar. De acordo com o chefe do Serviço de Cirurgia Buco Maxilo Facial do Hospital Erasto Gaertner Laurindo Moacir Sassi, quando aparecerem feridas que não cicatrizam (manchas, caroços ou inchaços) em qualquer região da boca e, que não desaparecem em quinze dias, a pessoa deve, imediatamente, procurar, primeiramente, um dentista. “Depois de constatado algum problema grave, um médico especialista deve ser procurado”, avalia.

Outros sintomas são ulcerações superficiais com menos de dois centímetros de diâmetro de diâmetro e indolores, que podem sangrar ou não, e manchas esbranquiçadas ou avermelhadas nos lábios ou na mucosa bucal.

De acordo com os especialistas, a dificuldade de fala, mastigação e deglutição, além de emagrecimento acentuado, dor e presença íngua no pescoço também podem ser sinais de câncer de boca em estágio avançado.

Sobrevida

O uso cotidiano e regular do álcool e do cigarro, má higiene bucal, próteses dentárias mal-ajustadas e deficiências imunológicas se constituem nos principais fatores que levam ao câncer de boca. O auto-exame da boca funciona como uma ferramenta eficaz no diagnóstico precoce da doença.

Deve ser feito em um local bem iluminado, diante do espelho. Com o auto-exame é possível observar evidências, como mudança na cor da pele e mucosas, endurecimentos, caroços e feridas.

Os oncologistas ressaltam a importância de se ficar atento a esses sinais e, assim, buscar o diagnóstico e o conseqüente tratamento o mais rápido possível. A sobrevida dos pacientes com câncer de boca está diretamente relacionada com a extensão da doença quando o diagnóstico é precoce e o tratamento especializado é aplicado.

Depois de diagnosticado o câncer, o paciente pode passar por tratamentos cirúrgicos ou se submeter a sessões de radioterapia e quimioterapia – isoladas ou de formas associadas.

A cirurgia e a radioterapia são mais indicadas quando as lesões estão na fase inicial. Se o câncer bucal é descoberto nesse período, o paciente tem 80% de chances de cura.

Higiene e informação

Pantelis Varvaki Rados, professor de Patologia Bucal da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, apesar de todos os sentimentos negativos que acompanham o diagnóstico da doença, as pessoas necessitam ser esclarecidas de que possivelmente há cura para todos os tipos, mas certamente no caso do câncer bucal a idéia de “quanto menor o tamanho da lesão, melhor o prognóstico”, é fundamental.

Dito de outra maneira, um paciente com diagnóstico de câncer realizado em suas fases iniciais tem uma expectativa de cura que se aproxima dos 100%. Sendo assim, toda e qualquer alteração percebido na boca necessita de avaliação.

Por isso, a prevenção é sempre a melhor estratégia. As pessoas necessitam, além de realizarem exames periódicos com profissionais especializados, terem claro que a pre,ocupação em manter a saúde bucal é um hábito pessoal e envolve higiene diária, com o uso da escova e do fio dental, associado aos hábitos saudáveis de alimentação, abandono do fumo e consumo regrado de bebidas alcoólicas.

“Só assim, poderemos diminuir o risco de câncer da mucosa bucal, que, por sinal, é uma questão de saúde, educação, consciência e qualidade de vida”, reconhece o especialista.

Principais sinais

>> Feridas doloridas ou não
>> Mudanças na sensibilidade
>> Mudança na mobilidade dos dentes
>> Sangramentos espontâneos
>> Caroços
>> Aumento de tamanho ou mudança de cor em feridas