Em tempos de correria diária, muita gente esquece de “ouvir” ou prestar atenção aos sinais do corpo. Eles estão ali, diariamente, nos dizendo que algo não vai bem, que é preciso diminuir o ritmo ou o estresse e, ainda, que é preciso mudar de hábitos antes que o corpo peça uma trégua.

O clínico geral Heitor Lagos ensina que o corpo emite muitos sinais e sintomas que servem de alerta e que o importante é parar para pensar, ter um tempo e aprender a ouvi-lo. “Hoje em dia com o excesso de informação externa e o aumento de atividades não temos prestado atenção ao que o nosso corpo diz”, comenta.

Segundo o médico, o primeiro sinal que merece atenção é acordar com a sensação de que não foi uma noite bem dormida. “Eventualmente isso pode ocorrer, mas não com regularidade”, observa.

Além disso, estar sempre irritados, com dificuldade de concentração também merece atenção redobrada. Com isso o rendimento cai e, em casa, no trânsito e no trabalho, tudo começa a ficar difícil e parece que nada mais tem graça.

Eles trazem consigo muitos outros sintomas físicos e é hora de parar e pensar como você está vivendo. “O ideal é procurar um médico e conversar com ele sobre os seus sintomas”, orienta.

Saber quando procurar um especialista é fundamental, principalmente quando os sintomas físicos se fazem presentes, como dores de cabeça, lombares e cervicais, problemas digestivos, como azia, queimação ou obstipação (prisão de ventre).

Às vezes até manchas na pele e queda de cabelo são alertas de que os hábitos de vida precisam mudar. O corpo emite muitos sinais até, antes mesmo, dos sintomas aparecerem, mas, infelizmente, não aprendemos a reconhecê-los. “É como um iceberg em que nós só percebemos o que está acima do nível da água e, na verdade, a maior parte está abaixo deste nível”, compara.

Não se pode considerar um check-up preventivo como a “pior coisa do mundo”, pois, ao contrário, nos exames podem estar a diferença entre viver com mais ou menos saúde.

Sinais do corpo

O médico também orienta sobre o uso incorreto de medicamentos. É comum nos casos de dor de cabeça, a pessoa usa um remédio sem saber quais são as causas e o que provoca a dor de cabeça.

Ao fazer isso está negligenciando o sinal de que algo está causando essa dor. “É preciso procurar um médico se as dores são persistentes e fortes e não usar analgésicos com regularidade, pois eles podem causar dores de estômagos, problemas hepáticos, anemia e, ainda, acabam ficando resistentes ao tratamento com o uso contínuo”, explica.

Outros sinais do corpo, como emagrecimento súbito – sem causa aparente -, gripes contínuas, azias, mudanças constantes de humor, são fatores que devem ser tratados com auxílio médico. Lagos diz que é essencial que todos aprendam a perceber os sinais do corpo.

“Assim como aprendemos a ler e a escrever, o nosso corpo tem uma linguagem e manda avisos antes de algo mais grave aparecer. Seja prudente e procure ouvi-los e senti-los”, completa.

Pais de todas as idades também estão vulneráveis a doenças. Por isso, neste Dia dos Pais, é importante lembrá-los de que devem realizar exames periodicamente. Selmo Minucelli, hematologista e oncologista do Frischmann Aisengart, orienta que os homens percam o receio de checar as condições físicas.

Assim como as mulheres, que realizam sistematicamente seus exames, o sexo masculino tamb&eacu,te;m deve realizar um check-up geral. “O ideal é pelo menos uma visita com seu médico de confiança ao ano”, sugere.

Câncer de próstata

Segundo dados do Ministério da Saúde, no Sistema Único de Saúde (SUS), a cada oito consultas ginecológicas acontece apenas uma urológica. Doenças, como câncer de próstata, que é a segunda maior causa de morte por câncer entre homens, perdendo apenas para os tumores de pulmão, podem ser tratadas de maneira eficaz quando descobertas precocemente.

Dentre alguns métodos diagnósticos da doença, o mais eficiente é a palpação digital da próstata (toque retal), um exame indolor e rápido, que consiste em tocar a próstata por meio do reto.

“O procedimento, que deve ser realizado em homens a partir dos 40 anos, consiste na avaliação do tamanho do órgão, seus limites e características anatômicas habituais que permite palpar algum nódulo suspeito”, diz o especialista.

A dosagem do PSA (antígeno prostático específico) deve ser realizada também, pois sua elevação pode indicar alguma anormalidade na glândula, que nem sempre será diagnosticada como câncer.

Os pais mais jovens, a partir dos 20 anos, também devem se preocupar com a saúde, verificando níveis de colesterol, triglicérides, glicemia (para descartar diabetes), atividade cardíaca e DSTs (doenças sexualmente transmissíveis).

Prevenção em todas as idades

Confira os exames sugeridos para cada fase da vida do homem:

Para todos:

* Consultar periodicamente um especialista. Exames diagnósticos devem ser feitos sempre

* Conferir sempre a pressão arterial

* Controlar o peso. A obesidade deve ser combatida, pois aumenta o risco de eventos cardiovasculares

* Praticar exercícios

* Não fumar

* Atualizar a carteirinha de vacinação. A prevenção é sempre melhor que remediar

Aos 20 anos

* Controle de colesterol, triglicérides, glicemia, creatinina e urina

* Avaliação de pintas (manchas no corpo)

* Realizar exames para prevenção de doenças hematológicas como anemias, hepáticas e cardíacas

* Usar preservativos para prevenção de DSTs, como HIV, hepatite B e C, HPV, clamídia, gonorréia, sífilis, herpes, cancro mole e donovanose

Aos 30 anos

* Além de seguir as dicas anteriores, os homens devem procurar um oftalmologista aos 30 anos

Aos 40 anos

* Os homens devem manter a adaptação às dicas acima e incluir outros cuidados, além de procurar um urologista e realizar exames para prevenção de problemas na próstata

Aos 50 anos

 * Manter todos os tópicos acima e investigar neoplasias