Com um avanço excepcional na área de cirurgia cardíaca, Arapongas, por meio do Hospital Regional João de Freitas, já é referência nacional, qualificando-se como um dos principais centros do interior do País nessa especialidade. O hospital está se aproximando da marca de 2 mil cirurgias cardíacas, realizadas nos últimos três anos, por duas equipes compostas por seis cirurgiões cardiovasculares.

Em volume de cirurgias do coração, Arapongas já ultrapassa os procedimentos realizados em Londrina e Maringá (somados), perdendo apenas para Curitiba. Já em número de serviços de hemodinâmica, o Hospital João de Freitas quase se equipara à capital do Estado, realizado uma média de 220 exames por mês, visando aferir problemas cardiovasculares.

Outro aspecto que ganha destaque na atuação do hospital de Arapongas é o fato de que cerca de 90% das cirurgias cardíacas têm sido viabilizadas por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). Com esse perfil e um time de cirurgiões de renome nacional, Arapongas está recebendo pacientes de todo o interior do Paraná, além de outros de Mato Grosso do Sul e de parte do Estado de São Paulo.

O Centro de Cirurgia Cardíaca foi implantado em abril de 2000, junto com o Centro de Hemodinâmica. E, a partir daí, as equipes especializadas têm realizado todos tipos de procedimentos da área, tais como substituição de válvulas, implantação de pontes de safena e mamária, marca-passo e stents.

O médico Roberto Koch, diretor-geral do hospital, informa que desde o início da construção do Hospital João de Freitas, em 1990, havia planos de implantar todos serviços de alta complexidade, incluindo cirurgia cardíaca e oncologia. O hospital, que começou a funcionar em 1994, tem uma área construída de 8 mil metros quadrados, dispondo de 150 leitos e outros trinta em Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O corpo clínico é integrado por setenta médicos de diversas especialidades e cerca de trezentos funcionários.

Atualmente, estão em construção novas alas destinadas a vinte apartamentos e cinqüenta consultórios médicos, além de um centro de rádio-quimioterapia e um pronto-socorro regional. A Prefeitura de Arapongas tem contribuído para que seja consolidado no município um centro médico-hospitalar de âmbito regional. Nos últimos anos foram doadas novas áreas de terras para ampliações e novos investimentos no Hospital João de Freitas, que tem atendido uma grande maioria de pacientes do SUS.

Mortalidade baixa

O médico Ricardo Yaedu assegura que os índices de mortalidade e de infecção hospitalar do Centro de Cirurgia Cardíaca do Hospital Regional João de Freitas são extremamente baixos. “Acreditamos que esse perfil, somado à alta resolutividade de casos, também contribui para o aumento do número de pacientes que buscam atendimento no nosso hospital”, argumenta Yaedu.

O diretor confirma que o João de Freitas já é o principal centro de referência nessa área em todo o interior do estado, principalmente em termos de atendimento via SUS. “Recebemos pacientes de todas regiões do Paraná e também de São Paulo e Mato Grosso do Sul”, reitera o médico, acrescentando que, em breve, será implantado um centro específico para cirurgias cardíacas na área de pediatria.