Foto: Fábio Alexandre
Rogério Hamerschmidt: processo caro.

Um implante coclear, que retira a surdez total, foi colocado pela primeira vez ontem no Instituto Paranaense de Otorrinolaringologia (IPO), em Curitiba. Trata-se da implantação de eletrodos no nervo auditivo que, por meio de um estímulo elétrico, mandam a informação ao cérebro, que por sua vez a transforma em som. O cirurgião Rogério Hamerschmidt explica que o procedimento é 100% eficiente em crianças. ?A cirurgia também pode ser eficaz em adultos, embora não seja garantido que o paciente voltará a escutar com clareza todos os ruídos?, esclarece.

O médico lembrou ainda que no Paraná foi a primeira vez que um implante coclear foi realizado com o aparelho chamado Medel, importado da Áustria. Segundo ele, um dos grandes problemas desse procedimento é o preço: cada aparelho custa R$ 55 mil. ?Mas essa dificuldade vem diminuindo com o tempo, pois de um ano para cá os planos de saúde passaram a cobrir a cirurgia?, disse. Hamerschmidt informou também que há uma luta dos médicos para que o procedimento seja credenciado no Sistema Único de Saúde (SUS). ?Hoje, só São Paulo e Porto Alegre fazem o implante pelo SUS. No Paraná estamos em processo de credenciamento.?

A cirurgia também já foi realizada algumas vezes no Hospital Iguaçu, em Curitiba. Segundo o médico, é um procedimento delicado, mas que não mantém o paciente tanto tempo no hospital. A criança de cinco anos que colocou o implante ontem já receberia alta hoje. A cirurgia durou duas horas.

Em todo o País há cerca de 350 mil pessoas com deficiência auditiva. No que se refere às crianças, o índice é de um para cada cem mil nascimentos.