Faltando 57 dias para o verão, muitas pessoas correm contra o tempo para exibir um corpo perfeito. Estudos apontam que o número de alunos nas academias cresce em torno de 30% nessa época do ano. Mas a mesma proporção é identificada nos consultórios médicos, que atendem muitas pessoas com lesões pela prática em excesso ou de forma inadequada de exercícios físicos.

Segundo o ortopedista Ronaldo de Souza Mendes, os casos mais comuns são os chamados “atletas de praia”, que forçam as atividades antes do verão e depois desaparecem das academias. “Essas pessoas estão preocupadas apenas com a forma estética que irão exibir e não com a manutenção do corpo ao longo do ano”, comentou Mendes. E a pressa em obter resultados é o principal fator que resulta nas lesões.

Isso ocorre, segundo Mendes, porque as pessoas exageram nas cargas e tipos de exercícios físicos, geralmente aqueles onde há um gasto excessivo de energia. “Isso acaba resultando em estiramentos musculares, principalmente nos membros superiores e inferiores, e tendinites em ombro, joelho e tornozelo”, explica o ortopedista. A atividade em excesso por um ou dois dias na academia pode resultar em um mês ou mais nos consultórios de fisioterapia. “Existem casos graves em que a pessoa necessita de cirurgia e fica impossibilitada de voltar a fazer exercícios físicos”, alerta o médico.

O ortopedista orienta que, antes de iniciar qualquer atividade em academia, é preciso uma avaliação de um fisioterapeuta, que identificará as condições físicas da pessoa e quais os exercícios indicados. As atividades devem ser supervisionadas, com aquecimento prévio e alongamento depois dos exercícios.

Ainda dá tempo

“Quem espera melhorar o corpo para o verão ainda tem tempo para conseguir algum resultado”, afirma o professor de educação física Rodrigo Chyla. Ele dá algumas dicas para quem quer melhorar o visual: procurar um nutricionista para controlar a alimentação – responsável por 70% dos resultados – e iniciar uma atividade física moderada pelo menos uma hora por dia. O ideal é usar roupas que facilitem a transpiração, pois, ao contrário do que muitos pensam, suar em excesso não é sinônimo de perda de peso. Chyla afirma que seguindo essas orientações, e dependendo das condições da pessoa, é possível perder até quatro quilos de forma saudável no mês. “Mas o mais importante é manter a atividade física depois dos resultados”, salienta.