Nem bem recomeçaram as aulas e as mochilas dos alunos já estão entupidas de cadernos, livros e outros badulaques. Os médicos alertam que o uso de mochilas pesadas pode ser considerado o grande vilão dos problemas de coluna na idade escolar. É o caso do estudante Diogo Corrêa, de 17 anos, que usou mochila durante três anos seguidos. ?Levava o material solicitado pelos professores todos os dias, e voltava para casa muitas vezes a pé?, conta. O resultado foi uma dor nas costas, que só deixou de incomodá-lo quando a mochila foi aposentada. ?Até hoje meus amigos brincam comigo, dizendo que tenho um jeito ?esquisito? de andar?, reclama.

O médico ortopedista Décio De Conti reconhece que o excesso de peso leva a criança a ter uma postura errada, situação que pode se transformar em deformidade. Para ele, as mochilas não poderiam exceder 10% do peso dos estudantes. Por exemplo, uma criança de 40 kg não deveria carregar uma mala com mais de 4 kg. Isso porque, para se manter equilibrada, a criança projeta o corpo para a frente, forçando a região que vai dos ombros à base do pescoço. ?Caso isso se torne rotina, acaba favorecendo o surgimento do chamado dorso curvo?, comenta o médico.

Preocupação dos pais

A estudante Camila Quadros, 13 anos, diz que tem medo de esquecer algum caderno ou livro importante em casa, então leva tudo, todos os dias da semana. ?Além disso, nosso horário está sempre mudando?, justifica. Os professores se eximem de culpa, explicando que pedem para que os alunos anotem na agenda o dia em que devem levar livros e cadernos, e, ainda, recomendam aos pais que vistoriem a mochila dos filhos, evitando que levem material desnecessário para a sala de aula.

?Peso em excesso agrava os problemas na coluna?, atesta Conti, salientando que o aumento de peso nas costas altera o eixo de gravidade, impondo uma carga excessiva na coluna e causando má postura, fadiga muscular e dores nas costas. Segundo o médico, também é errado colocar a mochila em um só ombro, fato que também provoca curvaturas, muitas vezes difíceis de ser corrigidas.

As formas mais comuns de desvios de coluna são a lordose (quando o bumbum se inclina para trás) e a cifose (quando a criança fica corcunda). Embora sejam defeitos de postura aparentemente leves, os médicos afirmam que, se persistirem por muito tempo, eles podem causar dores intensas e danos reais às vértebras. Para evitar o problema, Conti recomenda, em primeiro lugar, o bom senso. ?É difícil definir uma orientação geral, pois cada criança tem a sua estrutura física?, frisa. O ideal é que cada pai avalie o tamanho e o peso da criança antes de comprar uma mochila, para saber quanto peso ela pode carregar. Até mesmo as mochilas de rodinhas causam preocupação. Ela deve ser adequada ao tamanho da criança. É comum ver crianças arrastando essas mochilas com o corpo abaixado, uma postura até mesmo pior do que quando carregada nas costas, completa o médico.

PARA DIMINUIR O PESO DA MOCHILA

Mesmo sendo o material escolar necessário, os pais devem supervisionar para que as crianças estejam levando somente o material necessário para a escola. Veja como:

– Com organização, muita coisa pode ficar de fora da mochila.

– A criança deve levar somente o necessário para as aulas daquele dia.

– Não deixe a criança levar jogos, brinquedos e outros objetos para a escola.

– Dê preferência a mochilas, malas, fichários e cadernos leves.

– Dependendo do tamanho do seu filho, faça-o usar malas com rodinhas.

– Faça com que ele carregue a mochila com as alças nos dois ombros, nunca em um só.

– Não compre mochila grande demais, o tamanho da mochila deve ser adequado ao tamanho da criança, acompanhando a superfície das costas.

– As alças devem ser largas, acolchoadas e bem ajustadas ao corpo.