Foto: Hedeson A. Silva
Mario Ono: “Hoje as pessoas buscam uma
vida mais saudável e tratamentos sem
excesso de medicamentos”.

Quando surgiu como especialidade médica, na década de 90, a acupuntura ainda era um ramo da medicina pouco difundido. O mesmo aconteceu com a homeopatia, reconhecida pela Associação Médica Brasileira desde 1976. Hoje, essas e outras formas de medicina ditas complementares ou alternativas estão sendo cada vez mais requisitadas. Isso não significa que a clássica não funcione mais, porém essa tendência estaria atrelada à busca pelo diferente e o acesso mais fácil e barato ao tratamento.

O médico acupunturista Mario Ono vai além, e diz que a busca pela especialidade também está ligada a uma mudança no comportamento. “Hoje as pessoas buscam uma vida mais saudável e por isso procuram tratamentos sem efeitos colaterais e evitam usar uma quantidade excessiva de medicamentos”, afirma. Outra vantagem da acupuntura destacada por Ono é que ela é muito bem empregada no tratamento preventivo, pois analisa o indivíduo como um todo e consegue atingir o reequilíbrio do organismo.

A aplicação das agulhas -uma das formas mais tradicionais da acupuntura – visa a estimular partes do corpo para a produção de seus próprios remédios. O local e a forma da aplicação irão variar de acordo com o diagnóstico da patologia feita pelo médico. Segundo Mario Ono, a acupuntura tem excelente resultado no tratamento da dor, e pode ser utilizada como tratamento complementar junto com outras especialidades.

Sensibilidade

A jornalista Ellen Taborda encontrou na homeopatia uma alternativa para o tratamento da rinite. “Eu tentei alguns tratamentos com medicamentos convencionais, e um deles até causou um forte sangramento no nariz. Depois disso resolvi procurar a homeopatia por acreditar que é um tratamento mais natural”, disse. Ellen afirmou que já tentou empregar a especialidade para combater outra patologia, mas não obteve o mesmo resultado. “Sei que para a rinite vai ser um tratamento longo, ou talvez para toda a vida, por isso optei pela homeopatia que não tem efeitos colaterais”, falou.

A maioria dos pacientes que procura a homeopatia, diz o especialista Chil Korper Zunsztern, são aqueles que têm muita sensibilidade aos medicamentos alopáticos ou que possuem processos alérgicos ou inflamatórios de repetição. Segundo ele, a especialidade se baseia no princípio da similitude. A partir do repertório de cada paciente, é encontrado o melhor medicamento – que são substâncias extraídas de fontes vegetais ou animais. “Como a maioria das doenças são causados por fundo emocional, a homeopatia visa a colocar em equilíbrio a energia vital”, explicou.

O médico comenta também que a especialidade pode atuar no alívio de sintomas de doenças que provocam lesão, como câncer ou infarto, porém, não pode debelar o problema. Uma alternativa interessante para a aplicação da homeopatia tem sido no tratamento psiquiátrico. “O que a gente encontra hoje nesses casos são pacientes dopados. Com a homeopatia é possível identificar o problema e alcançar o equilíbrio do organismo”, afirmou.