A memória do feto em relação ao movimento influi em sua vida pós-natal, e o equilíbrio e a busca de estímulos motores por parte do bebê estão relacionados ao comportamento das mães durante a gestação. Estas são as conclusões de estudos feitos pelo médico Carlo Bellieni, da unidade de Terapia Intensiva Neonatal da Policlínica Le Scotte, de Siena.

A pesquisa constatou possíveis alterações no equilíbrio comparando os bebês de 43 mulheres grávidas que tiveram de permanecer em repouso absoluto, devido a dificuldades de gestação, com os de um mesmo número de mães que não apresentaram problemas significativos.

“Os resultados dos cinco meses de pesquisas demonstraram que os bebês de mães que permaneceram em repouso na gravidez tiveram mais dificuldades de equilíbrio que os outros recém-nascidos”, declarou Bellieni.

“Estas disfunções decorreriam do fato de que a falta de estímulos motores pré-natais influi sobre o correto desenvolvimento do sistema vestibular, que tem lugar em grande parte dos nove meses de gestação”, acrescentou.

A lembrança dos movimentos maternos por parte dos fetos é outra descoberta feita pelo médico, que comparou 32 mães bailarinas que continuaram em atividade durante os nove meses de gravidez com igual número de mães que deixaram de se exercitar.

“Os bebês nascidos de mães que praticavam dança são mais exigentes ao serem embalados, precisando de movimentos mais vigorosos em comparação aos outros recém-nascidos”, disse Bellieni, acrescentando que “isso demonstra que o feto pode lembrar os movimentos feitos pela mãe durante a gestação e os busca depois do nascimento”.

As pesquisas foram feitas como parte de um amplo estudo da policlínica de Siena a respeito da influência das atividades maternas durante a gestação e os efeitos da memória anterior ao parto para o desenvolvimento da criança, com o objetivo de melhorar a saúde dos fetos.