O perfil de saúde do brasileiro, identificado em pesquisa realizada pela SulAmérica Saúde, aponta altos percentuais de fatores de risco na população masculina.

Sedentarismo e obesidade estão no topo da lista. Os dados foram colhidos entre 2004 e 2008 mostram que, dentre mais de 26 mil homens pesquisados, 60% apresentam o Índice de Massa Corpórea (IMC) elevado, sendo que 17% são classificados como obesos.

Os dados obtidos corroboram os números revelados em levantamento do Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel).

Segundo a pesquisa, mais da metade da população brasileira sofre com excesso de peso – aproximadamente 43,3% estão com o peso acima dos níveis recomendados e 13% estão obesos.

“Os quilos a mais são consequência do sedentarismo do homem”, afirma Roberto Galfi, coordenador da pesquisa.

De acordo com o levantamento, 60% da população masculina é sedentária, número que também está em evolução, uma vez que em 2004, o índice de homens que não praticavam exercício era de 56,7%. De acordo com o estudo, 26,4% do público masculino têm níveis de colesterol limítrofes ou elevados, sendo que, em 2005, o índice era de 18,8%.