Os médicos Álvaro Vieira Moura e Dalton Bertolim Précoma, professores da Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Paraná, estão desenvolvendo nova técnica para impedir o fechamento de artérias coronárias após a dilatação com balão de angioplastia (reestenose). O estudo fez parte da tese de doutorado em Cardiologia de Dalton Précoma, intitulada: Efeitos da braquiterapia intra-arterial com samário-153 sobre a neoproliferação intimal, defendida no último dia 9 de junho, na Universidade de São Paulo.

A relevância do assunto estudado deve-se também em face da alta incidência da doença arterial coronariana e o crescente uso de angioplastia coronariana com balão ou endopróteses (stents). “Essas técnicas possuem elevado índice de reoclusão do vaso”, explicou Précoma. Na pesquisa, os estudiosos utilizaram a substância radioisotópica samário-153, que até então só havia sido utilizada para dores ósseas devido a inflamações e tumores. “O samário-153 impediu significativamente a reestenose, isto é, a reoclusão do vaso após a sua dilatação”, informaram os professores. O experimento foi realizado em coelhos e os resultados foram aceitos para publicação na literatura médica nacional e internacional.

Este trabalho científico havia conquistado, em abril, o prêmio Professor Doutor Gastão Pereira da Cunha, como o melhor tema livre apresentado no 28.º Congresso Paranaense de Cardiologia, e o primeiro lugar nos temas livres apresentados na Jornada Paulista de Radiologia, realizada em 2001. A tese foi desenvolvida com o apoio da PUC, Instituto do Coração de São Paulo, Hospital Angelina Caron e Centro de Radioimunoensaio e Medicina Nuclear do Paraná.

Participaram dos estudos os professores Dalton Précoma e Álvaro Moura, Lúcia Noronha, Márcia Orlandoski, residentes e acadêmicos do curso de Medicina da PUC.