Das agências – Uma forma de tratamento em que uma enzima usada no tratamento do câncer ataca apenas o tumor pode abrir caminhos promissores para o tratamento da doença, afirmam os cientistas responsáveis pela descoberta.

A equipe do Instituto da Pesquisa do Câncer da Grã-Bretanha descobriu por meio de experimentos que as drogas podem adiar o crescimento do tumor em animais.

O tratamento consiste em identificar os tumores e utilizar drogas não-tóxicas que se tornam ativas quando atingem o ?alvo?.

?Embora seja mais complexo do que muitos tipos de terapias, o fato de ele ser tão seletivo no tratamento do câncer significa que vale a pena explorá-lo mais?, disse a Caroline Springer, pesquisadora que liderou o estudo, que foi publicado no Journal of Medicinal Chemistry.

Segundo os cientistas, se bem-sucedida em humanos, a técnica pode melhorar muito a qualidade de vida de pacientes de câncer.

Ataque indiscriminado

Tratamentos tradicionais, como a quimioetrapia, tratam o câncer em qualquer parte do corpo, mas atacam as células do órgão de forma indiscriminada.

Dessa forma, o tratamento destrói tanto as células cancerígenas como as saudáveis, provocando efeitos colaterais, como enjôo, fadiga e perda de cabelo.

O tratamento pesquisado pela equipe britânica, no entanto, evita que as células saudáveis sejam danificadas, ao usar uma enzima ?pioneira? que marca o tumor que precisa ser destruído com drogas não-tóxicas. Estudos anteriores sobre essas substâncias não funcionaram porque elas não suficientemente fortes no ataque ao tumor.

Desta vez, os cientistas conseguiram fazer com que as drogas penetrassem mais profundamente nas células cancerígenas. ?Esse tipo de terapia funciona e está se mostrando promissora?, afirmou o professor John Toy, da Cancer Research UK, organização que patrocinou o estudo. Toy ressaltou, no entanto, que é preciso esperar pelos testes em humanos.