Elas estão menstruando e desenvolvendo seios cada vez mais precocemente.

Neles, os pêlos nascem cada vez mais cedo e as acnes dão sinal de vida antes da hora.

O fato é comprovado: a entrada na adolescência está cada vez mais antecipada.

Mudanças no modo de vestir, falar ou se comportar, muitas vezes, não condizem com a idade cronológica da criança, que brincam cada vez menos e têm atitudes e comportamentos de adolescentes. Cada vez mais precoces.

Muitas dessas atitudes parecem causar um “choque” nos adultos, no entanto as alterações fisiológicas resultantes da adolescência precoce são percebidas e sentidas entre as crianças mesmo.

Quando acontece de uma criança entrar precocemente na puberdade, apresentando inclusive alterações físicas, ela pode se tornar vítima de um enorme constrangimento ou prejudicar o seu convívio social. Nesses casos, a participação dos pais, acompanhando a evolução física de seus filhos e buscando ajuda especializada, é fundamental.

O crescimento normal durante a adolescência inclui a maturação sexual e um aumento do tamanho do corpo. O ritmo e a velocidade dessas alterações variam de pessoa para pessoa e são afetados tanto pela hereditariedade como pelo ambiente.

Atualmente, a maturidade física começa em uma idade mais precoce que há um século, provavelmente em razão da melhoria da nutrição, da saúde geral e das condições de vida.

Um exemplo citado pelos especialistas é de que as meninas menstruam pela primeira vez em uma idade consideravelmente menor do que um século atrás. Pesquisa feita nos Estados Unidos indica que a idade da menarca (primeira mestruação) diminuiu 2 meses a cada 10 anos.

Estirão do crescimento

Segundo a hebiatra (médica especialista na atenção à saúde dos adolescentes) Sandra Houly, durante esse período, a maioria de meninos e meninas atinge a altura e o peso que terá quando adulto.

Ainda assim, para dois adolescentes que acabam apresentando o mesmo peso, o tempo para atingi-lo pode ser consideravelmente diferente. “Nos meninos, o estirão de crescimento ocorre entre os 13 e os 15 anos e meio e pode ser esperado um ganho de 10 centímetros no ano de crescimento máximo”, explica.

Nas meninas, o estirão de crescimento ocorre entre os 11 e os 13 anos e meio e pode ser esperado um ganho de nove centímetros no ano de crescimento máximo.

Em geral, os meninos tornam-se mais pesados e altos que as meninas. Em torno dos 18 anos, os rapazes ainda devem crescer aproximadamente dois centímetros e as meninas um pouco menos.

As alterações sexuais geralmente ocorrem em uma seqüência determinada. Nos meninos, as primeiras alterações são o crescimento do escroto e testículos, seguido pelo aumento do pênis e pelo crescimento das vesículas seminais e da próstata. Em seguida, surgem os pêlos pubianos.

“Os pêlos faciais e axilares surgem aproximadamente dois anos após o surgimento dos pêlos pubianos”, comenta a hebiatra. O momento preciso da primeira ejaculação é determinado por uma combinação de fatores psicológicos, culturais e físicos, podendo ocorrer entre os 12 anos e meio e os 14 anos.

Avaliações hormonais

Conforme a endocrinologista Dolores Pardini, na maioria das meninas, o primeiro sinal visível de maturação sexual é o despontar das mamas, seguido pelo seu crescimento.

Logo em seguida, surgem os pêlos pubianos e axilares. Geralmente, a menarca ocorre aproximadamente 2 anos após o início do crescimento das mamas. A altura aumenta mais acentuadamente antes do início da menstruação.

“A puberdade precoce pode ser a conseqüência de algum distúrbio hormonal”, revela a médica. Assim, aos primeiros sinais, é preciso que os pais procurem um especialista para o caso ser investigado e, se necessário, tratado.

Esses sinais precoces, nas meninas são o aparecimento dos pêlos pubianos e o desenvolvimento das mamas antes dos nove anos. Já nos meninos, o nascimento dos pêlos, acne ou o desenvolvimento maior da genitália, a, partir dos dez anos de idade, também são sinais de puberdade precoce.

A idade da criança, o grau de desenvolvimento sexual e a sua progressão também ajudam a determinar qual será o tratamento adotado, sempre feito com acompanhamento clínico.

“O tratamento é individualizado e só é definido a partir dos resultados de alguns exames”, diz a especialista, salientando que, geralmente, nesses casos, a idade física está em desacordo com a idade mental da criança, fato que exige a necessidade de um acompanhamento profissional mais apurado.

Um exame clínico minucioso, avaliações hormonais e exames radiológicos ajudam na investigação do distúrbio e indicam possíveis problemas futuros. Acompanhe, no quadro, a seqüência determinada para o desenvolvimento sexual das crianças. O momento assinalado mostra a idade média em que a alteração começa a ocorrer.

A puberdade está chegando para as meninas

11 anos – despertar das mamas
11,5 anos – crescimento dos pêlos pubianos
12 anos – estirão de crescimento
12,5 anos – alteração na forma do corpo
13 anos – crescimento dos pêlos axilares e primeira menstruação
15 anos – mamas com tamanho adulto

Meninos: idade em anos

11,5 anos – crescimento dos testículos
12,5 anos – estirão de crescimento
13 anos – aumento no tamanho do pênis
13,5 anos – crescimento dos pêlos pubianos
14 anos – crescimento pêlos axilares e alterações no timbre da voz
15 anos – crescimento dos pêlos faciais