Voluntária Maria de Lourdes explica
como se faz o auto-exame.

Em Curitiba e em todo o Estado diversas ações vão marcar a luta contra uma doença que vem fazendo cada vez mais vítimas. Diversos profissionais estarão em locais da cidade divulgando a importância da prevenção e explicando os diversos tipos de câncer que afetam a população.

“A cada ano, 402.127 mil novos casos de câncer aparecem no País. No Paraná, esse número é de 17.720 casos, com 8.665 óbitos. A situação requer uma conscientização maior por parte da sociedade”, diz Luiz Antônio Negrão Dias, superintendente da Liga Paranaense de Combate ao Câncer.

No Paraná, segundo dados do Instituto Nacional de Câncer, o tipo da doença que mais aparece é o câncer de pele. “Grande parte dos paranaenses é descendente de europeus, tem a pele e os olhos claros. Qualquer exposição ao sol pode trazer complicações. Apesar de ter o maior número de casos, não é o tipo de câncer que mais faz vítimas”, afirma Luiz Antônio.

O câncer de próstata nos homens e o câncer de mama, nas mulheres, são as principais causas de mortes relacionadas à doença.

“Os homens ainda têm uma certa repulsa ao exame, mas é necessária a prevenção com o exame do toque. Se ele não for realizado, os problemas futuros serão ainda maiores”, afirma o médico.

Apoio

O Programa de Apoio Amigas da Mama atende atualmente 180 mulheres que têm a doença ou já estão curadas. Maria de Lourdes, integrante do conselho da associação, teve câncer de mama e precisou ser operada. “Tive a doença em 2001. Tive que remover o tumor e fiz a reconstituição do seio direito. Foi difícil, mas consegui superar. Depois de passar por tudo aquilo vejo que posso ajudar as pacientes com câncer, como numa troca de experiências”, afirma.

Para a presidenta do programa, Tânia Mary Gomez, o carro-chefe da campanha de prevenção do câncer de mama é o auto-exame. “É fundamental as mulheres realizarem o exame. É fácil e ele pode ser realizado de frente para o espelho, durante o banho ou quando a mulher está deitada. Esse gesto pode salvar muitas vidas”, diz.

Mobilização: Na Praça Santos Andrade, profissionais do Hospital Erasto Gaertner estarão alertando a população sobre a gravidade da doença; na Associação Médica do Paraná, na rua Cândido Xavier, serão realizadas palestras e debates sobre o assunto, com entrada gratuita.