Um estudo da Universidade da Alemanha e publicado pelo European Archives of Psychiatry and Clinical Neuroscience, descobriu que há certa variação entre homens e mulheres quando o assunto é pesadelo.

Segundo os pesquisadores, os homens estão mais propensos a ter pesadelos sobre demissão, enquanto as mulheres sobre assédio sexual. Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores contaram com mais de 2 mil participantes que descreveram seus maus sonhos. Um em cada dez voluntários tinha o mesmo sonho várias vezes ao longo do ano, e quase um em cada 20 se incomodava com eles ao menos uma vez por quinzena. 

Durante a pesquisa, as mulheres se mostraram mais suscetíveis aos pesadelos em que  o assédio sexual era o que as ameaçava, já os homens, morriam de medo dos sonhos em que eram demitidos. Para os pesquisadores, isso se dá porque para as mulheres, o instinto de preservação vital está relacionado a sua sexualidade e ao seu corpo, enquanto que os homens são educados para serem provedores e, por isso, não sabem lidar com o desemprego e tudo o que ele implica.

Os pesquisadores explicam que os pesadelos são respostas do nosso cérebro aos nossos medos e que podem se tornar mais frequentes de acordo com o estresse.