O excesso de peso é a síndrome do século, segundo a Organização Mundial de Saúde. Em todo o planeta, são cerca de 300 milhões de obesos e 750 milhões de pessoas que se encontram com sobrepeso. A obesidade é caracterizada pelo excesso de tecido adiposo (massa gorda) no corpo e inúmeros são os problemas dela advindos, sem contar com o lado estético que pode ser fonte de muita frustração, isolamento e desconforto. Quem alerta é o médico Psiquiatra e presidente da Sociedade Brasileira de Hipnose Clínica e Dinâmica Dr. Leonard Verea.

Considerada como uma doença pluri-fatorial, que não escolhe classes sociais, sexo ou idade, constitui o distúrbio metabólico mais comum nos países industrializados. A obesidade tem inúmeras explicações: genética, hereditária, cultural e psicológica. O obeso pode estar querendo se proteger de uma situação já vivida de dor, fome, abuso sexual, violência ou contra certos tipos de doenças, pois, gordura, para ela pode ser sinônimo de saúde.

Além dos traumas sociais, psicológicos e emocionais que acarreta, a obesidade representa um problema grave de saúde pública, sendo um fator de risco para doenças cardiovasculares, hipertensão arterial, alguns tipos de câncer, derrame cerebral, infarto do miocárdio, diabetes, colesterol, triglicérides (“gordura do sangue”), entre outras de igual importância.

Considerada como uma doença psicossomática, o emagrecimento tem muito a ver com fatores emocionais e, tão importante quanto uma reeducação alimentar e a prática de exercícios físicos, é o autoconhecimento. Os fatores psicológicos que desencadeiam a obesidade são de extrema importância no tratamento dessa doença. A superalimentação ou compulsão alimentar podem ser reflexos de ansiedade, stress, distúrbio afetivo, transtorno alimentar dentre outros agendes provocadores.

A hipnose ajuda o obeso a identificar e trabalhar com as emoções que o levam ao impulso de comer. “É um tratamento que não causa nenhuma espécie de danos e não pode, em hipótese nenhuma, obrigar ninguém a cometer atos contrários aos seus princípios, devido aos níveis de tolerância que cada indivíduo possui. Ninguém pode ser hipnotizado se não quiser. Em estado alterado de consciência é que a pessoa resgata lembranças que possam estar influindo negativamente na sua vida presente e que, provavelmente, seja a fonte de seus problemas”, explica Dr. Verea.