O Brasil registrou 66,3 milhões de brasileiros com acesso à web em 2009, considerando as conexões em casa, no trabalho e em locais públicos.

Os dados são do Ibope Nilsen Online. Também cresceu o número de internautas ativos.

Aqueles que, comprovadamente navegam, chegaram à marca de 36,6 milhões em dezembro.

Os brasileiros se mantêm na liderança em horas mensais navegadas, em relação aos outros países pesquisados pelo instituto. Foram registradas uma média de 44 horas navegadas, superando Estados Unidos, Austrália e França.

Seja para trabalhar, seja nos momentos de lazer, os brasileiros também já passam mais tempo na internet do que em frente à televisão, revela o estudo O futuro da mídia.

O tempo médio de navegação (32,5 horas semanais) já é três vezes superior ao de audiência (9,8 horas). Com efeito, TV e internet aparecem quase sempre como atividades relacionadas. Dois terços dos que assistem TV executam outra tarefa ao mesmo tempo.

Desconforto visual

Com tanto tempo diante da tela do computador, o mais provável é que os sintomas da síndrome de visão de computador (CVS) – olhos irritados, vermelhos, coceira, olhos secos ou lacrimejamento, fadiga, sensibilidade a luz, sensação de peso nas pálpebras ou da fronte, dificuldade em conseguir foco, enxaquecas, dores lombares e espasmos musculares – apareçam como resultado de condições externas relacionadas à tela do computador (falta de iluminação, má localização da iluminação, posição imprópria do monitor e tela suja).

Outro distúrbio é o comprometimento de problemas oculares pré-existentes, como miopia, hipermetropia e presbiopia. “Os hábitos inadequados de uso do computador, por horas sem descanso, também integram esta lista”, explica o oftalmologista Virgilio Centurion.

Para amenizar tais problemas, a ergoftalmologia, campo da oftalmologia do trabalho, age preventivamente, visando os cuidados com acidentes oculares. “No campo da ergonomia, seus esforços buscam adaptar o ambiente de trabalho à visão humana, proporcionando conforto visual ao usuário do computador”, completa o médico.

Assim, todos os esforços que visam prevenir o aparecimento da CVS são válidos, pois qualquer pessoa que passe aproximadamente duas horas por dia em frente ao computador corre o risco de desenvolver a síndrome.

As condições do ambiente de trabalho, umidade relativa do ar, ventilação, temperatura e iluminação também podem afetar diretamente a qualidade de vida dos trabalhadores. No ambiente doméstico, o mesmo pode acontecer.

“Algumas providências podem ser tomadas relativas aos cuidados com os olhos e com a postura corporal, durante o uso de computadores, leituras prolongadas ou tarefas repetitivas, nos diferentes ambientes, sejam de trabalho ou domésticos”, recomenda o oftalmologista Eduardo de Lucca.

Para prevenir a síndrome

* O uso do ar condicionado provoca a diminuição da umidade relativa do ar. O ar fica seco, ocorre o aumento da evaporação da lágrima. A pessoa exposta a esse ambiente pode ter outras complicações, pois também apresenta diminuição do número de piscadas, situação que provoca secura dos olhos, garganta e narinas, ardência nos olhos, lacrimejamento, visão dupla ou borrada e sensação de areia nos olhos.

* Luz natural ou artificial direcionada, que atinge a tela do computador por trás do usuário, dificulta a visualização. Luz lateral ao usuário pode determinar desconforto, cansaço e dor no final da jornada de trabalho e, até mesmo, olho vermelho. A iluminação do ambiente de trabalho deve ser homogênea e controlada, ou seja, o local deve estar iluminado por igual, não havendo variação da iluminação.

* Durante a utilização do computador, a cabeça deve seguir o alinhamento da coluna vertebral, que deverá estar reta e encostada na cadeira. O material utilizado como apoio deve estar em local próximo e de fácil visualização.

* O olhar do usuário do computador deve estar li,geiramente voltado para baixo, entre 15° a 25°. A má postura ocular pode causar lacrimejamento, fotofobia, coceira nos olhos, cansaço visual, dor ocular, sensação de areia, olhos vermelhos, olheiras, bolsas embaixo dos olhos, dores de cabeça e irritabilidade.

* Não se deve comer durante o trabalho com o computador. Migalhas podem cair no teclado e contaminá-lo. Existem bactérias que são comuns ao teclado e ao mouse do computador que podem contaminar mãos e, posteriormente, olhos e boca, causando as mais variadas infecções.

* Após horas de trabalho, o piscar reflexo diminui, sem que a pessoa perceba. Durante o trabalho, coloque um lembrete, como, por exemplo, “piscar” em algum cantinho do monitor. Assim você estará se policiando e piscando mais vezes, evitando o “olho seco”.

* Os usuários de lentes de contato devem lubrificar mais vezes os olhos, quando em frente ao computador, em leitura continuada ou em trabalhos repetitivos, para evitar problemas de ressecamento ocular.

* Os usuários de lentes bifocais deverão posicionar seu monitor um pouco mais para baixo, facilitando a utilização adequada das lentes para a leitura, evitando, assim, a movimentação do pescoço e da cabeça para trás, a fim de melhorar a focalização delas.

* Para não acarretar problemas visuais e posturais, o computador portátil (laptop) deve ser utilizado da mesma maneira que os computadores fixos de mesa. Nada de computador no colo, na cama ou na mesa de cabeceira.

* Recomenda-se que, a cada 50 ou 60 minutos, o usuário de computador dê uma parada por cinco minutos. Este tempo deve ser empregado para esticar as pernas, fazer ligeiros alongamentos dos braços, do pescoço e do tronco.

* Sentar de forma relaxada em frente ao computador também causa problemas de visão e posturais. A postura correta para o trabalho deve ser: costas eretas, planta dos pés apoiada no chão, tronco em ângulo de 90° com as pernas e cabeça no alinhamento do tronco.