Uma substância “prima” da vitamina A pode ser capaz de reduzir os danos genéticos presentes nos pulmões de ex-fumantes e, assim, reduzir o risco de se contrair câncer, segundo um novo estudo da Universidade do Texas.

Nesse trabalho se experimentaram os efeitos do composto ácido retinóico 9-cis em um grupo de 226 pacientes que haviam deixado de fumar um ano antes.

“O produto”, explica o informe publicado no jornal do Instituto Nacional do Tumor americano, “funciona ?invertendo? as anormalidades genéticas associadas ao desenvolvimento do câncer pulmonar”.

Os cientistas não consideram que a substância experimentada seja por si só o remédio correto, pois provoca efeitos colaterais desagradáveis. Os resultados obtidos no estudo abrem caminho, porém, para o desenvolvimento de novos compostos semelhantes.

Muitos pacientes que experimentaram a substância “prima” da vitamina A mostraram um aumento da funcionalidade do gene RAR-beta, que antes dos testes se mostrava ineficiente. O gene indica uma funcionalidade sadia dos tecidos pulmonares. Antes do tratamento, 69% dos pacientes possuíam uma versão do gene funcionando corretamente. Depois do tratamento, esse percentual subiu para 76%.