Ter uma nova vida financeira passa por pequenos hábitos e ações do nosso dia a dia. A escolha de onde abrir sua conta corrente parece algo singelo, mas é de fundamental importância para seus negócios.

Alguns anos atrás a única opção que tínhamos eram os grandes bancos tradicionais, apelidados de “bancões”. Qualquer transação bancária: depósitos, transferências, pagamentos, salários, poupança, recorríamos as grandes filas bancos que nos limitavam a poucos serviços e precários ao consumidor.

Em 2013, com a Lei 12865/13, demos o primeiro passo para alteração do sistema financeiro abrindo espaços para criação das novas fintech’s de pagamento. Já em 2018 ocorreu a mudança mais significativa, o governo brasileiro abriu a participação estrangeira de até 100% no capital das instituições financeira brasileiras / fintech’s, possibilitando grandes investimentos no mercado local.

Com tais fatos surgiram diversas novas contas pagamentos que no fundo foram utilizadas como conta corrente em nosso país, tais como: Nubank, Banco Original, C6 Bank, Banco Bari, entre outras.

Atualmente as grandes fintech’s já somam uma grande fatia do mercado nacional. Os principais são Nubank com 33 milhões de clientes e o C6 Bank que já ultrapassam 5 milhões.

É claro que ainda estão longe de alcançarem os grandes bancos, mas já mostram a que vieram, pois estão crescendo. Para o consumidor essa disputa é ótima, mais opções, menores custos, maior economia.

Os grandes bancos começaram a analisar melhor o mercado e oferecer mais serviços e benefícios aos antigos clientes. Atualmente o Banco Inter, que recentemente alcançou 10 milhões de correntistas, cresceu justamente por iniciar uma pegada similar a das fintech’s.

Imagem de Ahmad Ardity por Pixabay

Como faço em meu Instagram Amigo de Negócios, quero te deixar alguns pontos que devem ser analisados na hora de fazer a escolha de qual tipo de conta corrente deve manter ou abrir para você ou seus negócios:

Custos: Os grandes bancos, os tradicionais, insistem em realizar cobranças mensais por manutenção de contas corrente (a maioria). Já as fintech’s, por serem totalmente digitais com custo operacional menor, não cobram taxa de manutenção de contas.

Segurança: As ferramentas de segurança são praticamente as mesmas, as regras exigidas pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) para sua segurança são as mesmas. Ter uma conta tradicional ou de fintech’s digital não difere no quesito segurança.

Contato com o banco: Os bancos tradicionais mantêm agências, funcionários e gerentes para atender seus clientes pessoalmente. As fintech’s prometem atender de forma ágil e rápida na palma da sua mão, ou seja, celular ou computador.

Cartões de créditos: Os bancos tradicionais oferecem muitas vezes cartões de créditos com anuidades, já as fintech’s são conhecidas por oferecerem cartões sem taxas de manutenção, mas com juros um pouco maiores quando há atraso no pagamento.

Investimentos: Os bancos tradicionais aos poucos estão abrindo possibilidades, mesmo que de forma tímida, do cliente escolher os próprios investimentos em suas plataformas (ainda com grandes taxas administrativas na maioria dos casos). Já as fintech’s apresentam um rol de investimentos que praticamente são ofertados a custo zero.

Abertura de conta: Enquanto os grandes bancos exigem uma série de documentos para abertura de contas, as fintech’s te proporcionam agilidade e facilidade na abertura, pois tudo é feito por celular.

Limites de transações: Enquanto os grandes bancos te oferecem contas com limites tradicionalmente exigidos por lei, como: 04 saques por mês, 02 transferências entre contas da mesma instituição, 10 folhas de cheque por mês e 02 extratos bancários impressos por mês, algumas fintech’s não cobram por saques, transferências e seu extrato por celular está disponível a qualquer hora. Além disso, as fintech’s te permite emitir boletos de cobrança para te auxiliar no dia a dia.

Como fazer a melhor escolha? Busque aquela que melhor atende suas necessidades. Eu, particularmente, gosto dos bancos digitais, principalmente as fintech’s de fácil acesso, baixo custo e que oferece o maior número de serviços e benefícios. Meu conselho de hoje é: faça o mesmo!

Meu nome é Marlon Roza, sou seu “Amigo de Negócios”.