Resolvi escrever este artigo logo após a queda acentuada das ações da Petrobras, visto que muitos brasileiros adquiriram as ações da companhia e agora podem estar desesperados querendo vender sem estudo aprofundado do tema.

É fato que em minhas mentorias ou consultorias jamais aponto as ações, a bolsa de valores, como o primeiro mote para a carteira de investimentos. Para chegar a este nível eu sugiro que o investidor passe por um longo caminho em investimentos de renda fixa e outros investimentos em renda variável.

Investir em ações requer uma análise profunda do mercado, conhecer realmente o que está comprando, o balanço da empresa, os caminhos econômicos em que o Estado está vivendo, entre outros elementos.

No entanto, hoje, para matar a curiosidade do leitor, resolvi escrever algumas curiosidades e conceitos do mercado acionário, especificamente da bolsa de valores.

CONCEITO:
De forma bem simplista posso dizer que a bolsa de valores é um ambiente de negociações de valores mobiliários de ações, títulos públicos e commodities. Funciona como um mercado organizado para negociação de ativos financeiros, dos quais o mais conhecido é a ação (pequena parte de uma empresa). Comprando uma ação você se torna acionista, se torna sócio do negócio na quantia da sua fração.

TIPOS:
Existem diversas categorias de ações na bolsa de valores, mas as mais conhecidas são:

• Ações ordinárias: aquelas ofertadas sob a sigla “ON” onde os acionistas detentores tem o direito de recebimento dos proventos, poder de voto nas assembleias e também o que chamamos tag along (garante o direito de deixar uma sociedade, caso o controle da companhia seja adquirido por um investidor que até então não fazia parte da mesma).

• Ações preferenciais: aquelas ofertadas sob a sigla “PN”, onde oferecem prioridade no repasse dos proventos, que por sua vez, são maiores do que os das ações ordinárias, porém não dá direito a voto em assembleias.

Imagem de Anna Nekrashevich por Pexels

AQUISIÇÃO DE AÇÕES:
Atualmente você consegue encontrar ações que valem centavos e ações a preços altíssimos. Ao adquirir ações, muito provavelmente você pagará taxas de corretagem (que varia de corretora por corretora), taxa de custódia para manter o seu registro junto a CBLC e tributos pela transação.

O preço da ação na maioria das vezes depende das condições da empresa, do seu balanço, dos seus propósitos, objetivos e metas, e depende também de fatores externos como política econômica do país e até do mercado estrangeiro.

Para você investir na bolsa você precisa ter uma conta no banco e, preferencialmente, uma conta na corretora, pois é a corretora que te oferece as melhores taxas e os melhores produtos para aquisição.

ÍNDICE BOVESPA:
Outra curiosidade que sempre surge nas consultas é sobre o que seria o índice Bovespa (IBOV). O IBOV nada mais é do que uma carteira teórica das ações mais negociadas na bolsa de valores brasileira. É o mais importante indicador do desempenho médio das cotações das ações negociadas na B3 – Brasil, Bolsa, Balcão.

Há vantagens e desvantagens de se investir na bolsa de valores, o que vale destacar que é um negócio de grandes riscos e que você não deve aventurar seu dinheiro sem um profundo conhecimento do mercado acionário. Mas essa é uma conversa para um próximo artigo.

Meu nome é Marlon Roza, sou seu “Amigo de Negócios”.