– O veterano Kleber usa o velho princípio do “pode casar com quem quiseres desde que não seja com Maria” para justificar uma má atuação no Coritiba. Pode se culpar qualquer um por um jogo ruim do Coxa, menos ele. Ele que investiu contra Carpegiani, agora critica Pachequinho. Ao ser substituído contra o Jotinha, afirmou: “Jogamos muito recuados. A bola não chegou”. Não tenham dúvida: qualquer dia, Kleber vai querer derrubar o presidente do Coritiba.
– O doutor Mário Celso Petraglia já está convencido que o trabalho de comando da base do Atlético não se identifica com as condições que clube oferece. Se assistiu o jogo com o Londrina, ficou ainda mais convencido. Só sobram Rossetto e Wanderson. Nos últimos dias, oito executivos que tratavam do futebol foram mandados embora. No sábado, o doutor surtou no CT do Caju, e sabiamente concluiu que o Atlético dá muito e recebe pouco do seus executivos. Mais gente deve ser demitida. A exceção de Paulo Autuori qualquer um está correndo o risco de perder o emprego. Márcio Lara, inclusive.
– O excelente meia Renatinho, do Paraná, o melhor jogador do campeonato até aqui, se ainda não recebeu, irá receber uma proposta para jogar no Coritiba no Brasileiro. Os coxas já autorizaram um agente para negociar os direitos do seu vínculo desportivo com o Mirassol, de São Paulo. O contrato com o Paraná termina, agora, em maio. Essa é uma das consequências de se fazer time apenas para uma empreitada. O treinador Lopes já avisou que eventual saída de Renatinho vai desmontar toda a estrutura tática do time tricolor.
– A rede hoteleira de Curitiba está comemorando dois eventos que irão tomá-la quase que integralmente: o do dia 3 de maio, que é a audiência de interrogatório do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e depois em julho as finais da Liga Mundial de Vôlei.