Foi publicado no Diário Oficial da União a lei 14.311, de 09/03/2022, que altera a Lei 14.151/2021 referente o afastamento das gestantes em do trabalho presencial durante a pandemia.

Retorno das gestantes ao trabalho presencial

O que diz a lei?

Art. 1°Durante a Emergência de Saúde Pública:

A gestante que não tenha sido totalmente imunizada deve permanecer afastada das atividades de trabalho presencial;

Parágrafo 1°- A empregada gestante fica à disposição do empregador para exercer atividades no modelo home-office, sem prejuízo salarial.

TRIBUNA EMPREGOS: Curitiba abre 430 vagas de estágio para universitários de Pedagogia

Parágrafo 2° – A empresa pode adaptar a função da gestante de forma que seja compatível ao home-office, assegurando a sua função exercida anteriormente quando retornar ao trabalho presencial;

+ LEIA TAMBÉM: Imposto de renda 2022: quais os documentos necessários e como fazer a declaração?

Parágrafo 3° – O empregador poderá solicitar que as trabalhadoras gestantes retornem ao trabalho presencial nas seguintes situações:

  • Após o encerramento do Estado de Emergência de saúde Pública;
  • Após a vacinação contra o coronavirus, quando o Ministério considerar completa a imunização;
  • Quando a gestante optar por não se vacinar, por livre escolha. Neste caso, a trabalhadora gestante deve assinar um termo de responsabilidade e de livre consentimento que deseja retornar ao trabalho presencial, seguindo as medidas preventivas adotadas pela empresa;

A “lei das gestantes” entra em vigor na data da sua publicação, ou seja, a partir de 09/03/2022.

E aí? Me conta o que você achou da nova lei. Ficou com dúvida? Pergunte para a Carol do RH no instagram 😉

Leia a lei na íntegra no Diário Oficial da União (DOU)

VEJA TAMBÉM: Mãe de Curitiba pede ajuda para filho com problema grave no intestino: “Fica tudo preso”!