Não tem como medir o sucesso de uma equipe. Ainda mais, quando esse time fez muito pelo esporte. E ainda faz. A lendária Chute Boxe, tradicional equipe de artes marciais de Curitiba, reuniu centenas de pessoas – sejam atletas, treinadores, curiosos -, no último sábado, na Ópera de Arame, para um evento com o intuito de celebrar as glórias conquistadas nestes cerca de 40 anos de atividade.

LEIA MAIS: Wanderlei Silva deixa vida de luxo, volta ao MMA e promete fazer o “mundo parar”

Um dos responsáveis por tudo isso é o mestre Rudimar Fedrigo, que revelou grandes talentos do MMA mundial, como Wanderlei Silva, Anderson Silva, Maurício Shogun, Cristiano Marcello, Cris Cyborg e José Pelé Landi. O fundador da Chute Boxe recebeu a equipe da Tribuna do Paraná nas dependências da academia e destacou todo o trabalho realizado nas últimas décadas.

Foto: Guilherme Maiorky/Colaboração.
Foto: Guilherme Maiorky/Colaboração.

“A Chute Boxe cresceu muito como uma organização de artes marciais. Hoje, ela está espalhada pelo mundo inteiro. Todos os lugares que eu tenho ido, eu presencio uma nova geração, com academias lotadas. Todos os finais de semana temos grandes lutadores atuando pelo mundo todo”, disse Fedrigo.
O treinador se orgulha também pela criação de outras equipes, que acabaram sendo oriundas da própria Chute Boxe. “A nossa filosofia de trabalho é campeã. Mas, nós não preparamos apenas lutadores. Nós preparamos pessoas para a vida. Temos bastante crianças e mulheres treinando e isso nos alegra muito”, frisou.

Das mãos de Rudimar Fedrigo saíram grandes lendas do MMA. Hoje, ele não tem tanto contato com as revelações forjadas na Chute Boxe, mas se orgulha dos atletas e prega respeito entre todas as partes. “É uma relação de respeito e cordialidade. Foram pessoas produzidas na academia. Tiveram uma base, que dificilmente o atleta consegue se desvencilhar. Quem sai daqui, sai um verdadeiro guerreiro”, ressaltou o treinador.