O brasileiro Roger Gracie, que vive há anos em Londres, está totalmente recuperado do coronavírus. Em entrevista ao Combate.com, o ex-lutador do UFC falou sobre o drama vivido nos últimos dias.

“É bom falar, porque muita gente não tem noção exatamente do que é, acha que não vai ser afetado, que nunca vai chegar nele. Fiquei dez dias de cama, com 40 graus de febre e tosse. Eu senti falta de ar um dia, ainda bem que não progrediu. Acordei de madrugada com o coração acelerado, com falta de ar. Liguei para a ambulância, até entrei nela. Fizeram os testes, ligaram para o chefe da medicina e acharam melhor eu ficar em casa”, destacou o atleta.

>> Equipes de lutas de Curitiba se unem e pedem reabertura das academias

Gracie está há um mês sem treinar, mas tem buscado alternativas para manter o pagamento dos seus funcionários, já que sua academia está fechada. “Eu tenho 22 pessoas que trabalham para mim na academia, contando todos os funcionários, professores, recepcionistas… Transferimos para as aulas online, então está funcionando assim desde que fechou. Se todo mundo cancelar a mensalidade, são 22 pessoas sem se sustentar. É difícil, mas vou continuar pagando os funcionários”, frisou.