Já imaginou fazer um duelo de MMA grávida? Foi isso que aconteceu com a catarinense Kinberly Novaes, que no próximo domingo irá representar a equipe CM System, de Curitiba, na disputa do cinturão do Pancrase, no Japão. Uma história inusitada nas artes marciais mistas. A lutadora soube da noticia quando já tinha seis meses de gestação.

“Eu lutaria nos Estados Unidos na mesma época e acabei postando um vídeo nas redes sociais falando sobre a minha gravidez e que não poderia fazer esse combate. Expliquei a situação e muita gente já associou que eu estava grávida de três meses. Acabou virando notícia no mundo afora”, disse a atleta.
“Eu disputei um cinturão grávida, tive muita dificuldade para bater o peso e só consegui graças ao meu marido. No final deu tudo certo, venci a luta e voltei aos treinamentos normalmente. Só fui saber mesmo da gravidez alguns meses depois”, ressaltou Kinberly.

Agora mãe do pequeno Breno, a catarinense tem uma dura rotina de tarefas, dividindo o seu tempo em cuidar do filho, fazer os treinamentos na CM System e ainda trabalhar com a venda de açaí. “Não dá para ter uma família apenas se dedicando à luta no momento. Hoje em dia é bem corrido pra mim. Mas, isso me motiva muito mais. Eu treino bem melhor do que antes”, frisou.

A lutadora tem uma prova de fogo neste fim de semana. No lendário Pancrase, Kinberly disputa o cinturão peso-palha. “Tenho me preparado muito forte em todas as áreas, pois minha rival é bem versátil. No final do ano passado eu lutei no Japão e nunca senti dificuldades, com fuso-horário ou alimentação”, destacou.
A rival de Kinberly está invicta no MMA. Uma das atletas mais conhecidas do Japão, Syuri Kondo será um dos principais desafios da carreira da catarinense. “Ela realizou todas as lutas no Pancrase, é bem famosa, mas ela ainda não pegou uma lutadora tão experiente ou dura quanto eu”, concluiu.