Quando subiu ao octógono do RCC, na última segunda-feira, em Yekaterinburg, na Rússia, o manauara, mas radicado em Curitiba, Klidson Abreu, vinha com a pressão de honrar o Brasil em solo russo. Antes dele, três representantes do nosso País haviam sido derrotados, entre eles o ex-UFC Elias Silvério.

Leia mais: Curitibano faz caminho inverso e, após brilhar no exterior, quer fazer bonito em sua terra

Mas, o representante da Evolução Thai encarou com uma enorme tranquilidade o desafio contra Viktor Nemkov e saiu com o braço levantado após finalizar o experiente russo no segundo round. “Todos os brasileiros tinham lutado, tinham perdido e eu fui lá e honrei todo mundo. O russo era favorito, mas eu consegui finalizar e trazer essa vitória para o Brasil”, disse Klidson, em entrevista ao Direto do Octógono.

Campeão do Brave e sem contrato com a organização, o “curitibano”, que afia o seu chão na Gracie Barra, já mira voos mais altos no MMA e pensa no UFC. “Vou voltar para o Brasil, conversar com o meu empresário e esfriar a cabeça. Vejo uma grande chance no UFC, vou em busca disso e, se for pra bater em todo mundo, eu vou bater. Me disseram que o caminho da Rússia era o pior e eu não vejo isso”, destacou o brasileiro.

Veja a vitória de Klidson Abreu: