O ator, dublador e diretor Selton Mello está no ar na Globo na série Treze Dias Longe do Sol. Aos 45 anos, ele pode escolher trabalhos e até recusar algum se não achar interessante. Também não precisa assinar contrato de exclusividade com emissora ou projeto.

O início da carreira Selton – irmão do também ator Danton Mello – foi como a de qualquer ator que aparece na Malhação de hoje. Fazia papéis pequenos, preparados para jovens atores. Em Pedra Sobre Pedra (1992), interpretava Bruno, um funcionário de uma pousada que pouco aparecia.  Ele começou a se destacar mesmo na TV em 1994, em Tropicaliente, novela das 18h em que contracenava justamente com Carolina Dieckmann, parceira agora na série exibida na Globo.

O papel de Selton era o vilão playboy Victor. Ele fazia de tudo para se aproximar da jovem Açucena (Carolina Diekmann),  filha de pescador, por quem ele, de fato, era apaixonado. Victor foi um dos destaques da trama e Selton atingiu um novo patamar na carreira.

Mineiro de Passos, mais tarde o ator passou a investir na carreira cinematográfica e também na direção de projetos e, por isso, outras poucas vezes foi visto em produções globais dali para frente.

Suas participações ficaram concentradas em séries (a última tinha sido Ligações Perigosas, exibida no ano passado) e na exibição de filmes nacionais como O Auto da Comparecida, O Palhaço, Caramuru, A Invenção do Brasil e Meu Nome Não é Johnny.

Discreto na vida pessoal, Selton nunca se casou, mas já revelou a possibilidade de ter filhos. Está entre as personalidades que prefere ficar longe dos holofotes. O foco, para ele, é apenas no trabalho dele.

Selton em cena de Tropcaliente (1994), ao lado de Paloma Duarte. Foto: Reprodução
Selton em cena de Tropcaliente (1994), ao lado de Paloma Duarte. Foto: Reprodução