Seu cão anda meio “pra baixo” ou tem apresentado comportamentos diferentes do habitual? Saiba que assim como nós, seu amigão também pode ser afetado pela depressão. De acordo com especialistas, o distúrbio pode atingir os animais que passam muito tempo solitários ou que enfrentam mudanças bruscas ou radicais em suas rotinas, entre outros fatores.

Segundo o especialista em comportamento animal e adestrador do Red Dog Walker Fernando Lopes, filiado ao aplicativo Pet Booking, as raças mais propensas a quadros depressivos, são Border Collie, Whipet, Pastores, Labradores e Terriers. E ainda de acordo com o adestrador, não é difícil identificar os sintomas da doença nos pets.

“Os principais sintomas de depressão estão ligados ao comportamento do pet. O cão que está infeliz demonstra isso através da mudança de temperamento ou com o desenvolvimento de hábitos que não são comuns à sua personalidade, como, comer compulsivamente e de forma rápida qualquer alimento oferecido, ou ficar sem regras para fazer xixi e coco nos lugares corretos, além de apresentar muita atividade noturna, trocando o dia pela noite”, explica.

Outras atitudes como crise de agressividade sem motivo aparente ou lamber e morder as patas dianteiras, chegando a causar feridas também são sinais de alerta. Já um cão feliz, segundo o especialista, costuma estar sempre abanando rabo, com a cauda para cima. “Animais que apresentam essa postura corporal com frequência e que procuram sempre algum tipo de interação com o tutor, dificilmente serão diagnosticados com depressão”, afirma Fernando.

Tratamento

Para evitar o problema, a recomendação é proporcionar qualidade de vida ao animal, passeando com seu cachorro diariamente (em dois períodos do dia), oferecer alimentação de qualidade em horários regrados e fazer com que ele socialize, tendo contato com outros cães e pessoas.

Caso o cão já esteja deprimido, o remédio indicado pelo adestrador é combinar uma série de atividades que o estimule, como visitar lugares novos para sentir odores diferentes, fazer com que ele brinque e pratique atividades físicas e treiná-lo com comandos de adestração básicos, para que ele exercite a mente.

Agenda de eventos e feiras de adoção

Adoção responsável: Este lindo filhote e seus irmãos, que têm pouco mais de dois meses de vida, foram resgatados em São José dos Pinhais e agora buscam agora um novo lar. No total, são quatro fêmeas e um macho, já desverminados. Informações com a Patrícia Marques (41) 9 9646-7520.
Adoção responsável: Este lindo filhote e seus irmãos, que têm pouco mais de dois meses de vida, foram resgatados em São José dos Pinhais e agora buscam agora um novo lar. No total, são quatro fêmeas e um macho, já desverminados. Informações com a Patrícia Marques (41) 9 9646-7520.

Sábado 2

Campanha de adoção responsável de cães e gatos do grupo Adote Com Consciência. Na BR Vet Farmácia Veterinária, Rua General Polli Coelho, 192 – Tarumã, das 10h às 16h.

Encontro de adoção de cães e gatos em parceria com as ONGs Amigo Animal e Focinhos Curitiba. No HiperZoo, Rua Desembargador Westphalen, 3.448, das 10h às 17h.

Evento de adoção de cães dos grupos Salva Bicho e Ajude Focinhos Curitiba, na Praça Santa Filomena, Rua Augusto Stresser – Hugo Lange, das 10h às 16h.

Evento de adoção no Fofuras Petshop, Rua Marechal Hermes, 678 – Centro Cívico.  Sábado, das 13h às 18h. Aos domingos, das 14h às 18h.

Feira de adoção responsável de filhotes da EsalPet Petshop, Rua Professor Sebastião Paraná, 125 – Vila Izabel, aos sábado, das 10h às 16h.

Feira de adoção de cães da Casa do Produtor, Rua Engenheiros Rebouças, 1814 – Rebouças, sábados e domingos, das 10h às 16h.

Domingo 3

Campanha de adoção de cães e gatos do Grupo Adote com Consciência Curitiba, na Sociesc, na Linha Verde, BR-116 Km 106,5 – n°18805, Pinheirinho, das 10h às 16h.

Quer contar uma história com seu pet, sugerir um tema ou publicar a foto de um animal disponível para adoção? Escreva para gente: animal@tribunadoparana.com.br