Depois de 30 anos, a história sobre o assassinato de Daniella Perez volta a repercutir após o lançamento da série “Pacto Brutal: O Assassinato de Daniella Perez”, exibida no HBO Max. A produção se destaca por apresentar em formato de documentário todo o processo doloroso que envolveu a investigação do crime até a condenação dos assassinos.

Dividido em cinco episódios de quase uma hora cada, a série traz depoimentos, imagens de arquivos e relatos inéditos do assassinato da atriz que foi morta esfaqueada pelo ator Guilherme de Pádua, seu par romântico na novela “De Corpo e Alma”, e sua então esposa, Paula Thomas, em dezembro de 1992.

Com ótimas cenas de simulação, direção invejável e ótima narração. A produção já começa a se destacar pelo relato de Glória Perez. A escritora e mãe da jovem conta todo o seu sofrimento com muita maestria, coragem e lucidez. Seu sofrimento é muito presente nas palavras, no tom de voz, no olho. Nisso, já vale a pena por assistir a série.

LEIA MAIS: Filme sobre Eike Batista ganha data de estreia

Outra surpresa vai para o número de depoimentos, a produção conta com diversas estrelas da TV Globo, nomes de profissionais que dificilmente aparecem fora dos canais Globo. É o caso da jornalista Glória Maria, as atrizes Cláudia Raia e Marieta Severo, o ator Fábio Assunção e Roberto Carlos, este até que com uma aparição sem grande relevância. Alguns críticos até classificaram como inútil a participação do cantor, mas sua participação à série chama a atenção por conta da exclusividade com o canal carioca. Aliás, Pacto Brutal tem tudo para ser uma produção do Globoplay.

pacto brutal assassinato o de daniella perez
Daniella Perez com sua mãe, Glória Perez. Foto: Divulgação

E, por fim, e não menos importante, não podemos deixar de mencionar o formato da série. A produção é um documentário true crime, ou seja, sobre um crime real, uma tendência que vem conquistando o público há alguns anos, como por exemplo, com “O Caso Evandro”, sobre o desaparecimento do menino Evandro Ramos Caetano, em Guaratuba, em 1992. “Pacto Brutal: O Assassinato de Daniella Perez” tem imagens fortes do corpo da artista.

O uso dessas fotos na produção não está lá por acaso, a própria Glória Perez explica que para ela não são essas imagens que chocam, mas como a mídia retratou o caso com fotos e vídeos da atriz com o Guilherme quando os dois eram par romântico na novela “De Corpo e Alma”. Na época, se foi vendida a imagem de que foi a personagem de Daniella quem foi assassinada pelo personagem de Pádua e não a própria morte da atriz.

Pacto Brutal, sem dúvida, é a melhor série brasileira em documentário deste ano.