E acabou o ano! Na velocidade das tecnologias da informação e comunicação não sentimos mais o tempo passar. Mas tem uma coisa que ainda pode ser feita neste último mês, antes da virada: começar a poupar. Inclusive aproveitando a sobra de um dinheiro por conta do 13º salário, para quem trabalha com carteira, das vendas, para quem está no comércio, e do trabalho, para os autônomos que são chamados para resolver problemas de última hora.

VEJA TAMBÉM: Os quatro tipos de consumidores brasileiros

O décimo terceiro salário, ou gratificação natalina, existe em bem poucos países. Aqui, foi criado em 1962. Ele é a prova da falta de planejamento financeiro. Em países desenvolvidos, mensalmente, as pessoas poupam um pouco para as despesas de fim de ano. E as empresas, quando dão um extra, ele está atrelado à produtividade e aos lucros no ano.

Me perguntaram o que eu faria com meu décimo-terceiro?

Pagar dívida

Bem, vamos lá: primeiro, sem dúvida nenhuma, pagar dívidas. As de maior juro primeiro. Lembre: talvez você não tenha oportunidade de um dinheiro extra nos próximos 12 meses.

IPVA, IPTU…

Segundo, guardar dinheiro para as inevitáveis despesas de janeiro e fevereiro, como IPTU, IPVA, material escolar para filhos e as despesas das férias do cartão de crédito.

Poupar

Terceiro, poupar para o curto prazo, para um eventual desemprego. Mesmo quem acha que tem posição sólida na empresa, é só olhar para o lado e ver como estão demitindo gente de longo tempo de casa para enfrentar a crise.

Por fim, se sobrar alguma coisa, deposite para o longo prazo. Na previdência privada, os depósitos feitos até 31 de dezembro podem ser abatidos na declaração de Imposto de Renda pelo modelo completo, até o equivalente a 12% do valor da renda anual. Você ganha duas vezes: ao poupar para você e ao pagar menos ao Leão.