Como já dissemos inúmeras vezes aqui nesse espaço, a pandemia tem trazido uma série de prejuízos para os cidadãos e claro, para os consumidores. Fornecedores que não entregam ou atrasam a entrega de produtos; serviços que não são prestados de maneira adequada; falta ou demora no atendimento, entre outros.

E um tema que tem atormentado alguns consumidores é a cobrança de juros e encargos por dívidas que não foram pagas já que os estabelecimentos estavam fechados em razão da pandemia.

VEJA TAMBÉM: Velhos golpes, novas vítimas. Fique atento ao barato que pode sair caro

É preciso, num primeiro momento, verificar se o credor – fornecedor, não disponibilizou outras formas para que o consumidor efetuasse a quitação das suas obrigações, como pagamento através da rede bancária, aplicativos ou outros.

Caso não tenha sido dada alguma opção, não deve o consumidor ser compelido ao pagamento dos encargos, já que não pode – por razões alheias a sua vontade – pagar as contas na data do vencimento.

LEIA MAIS: Tecnologia a serviço do consumidor e do distanciamento social

E preciso, claro, que haja bom senso por parte dos fornecedores nesse momento. Mais do isso, que se abra e se estimulem canais de diálogo que é sempre a forma mais simples e eficiente para a solução de conflitos.


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?