Curitiba é famosa por ser uma cidade cinza. O tempo, quase sempre carrancudo, já foi tema de poesias de Paulo Leminski, músicas da Blindagem e contos de Dalton Trevisan. Mas as cores dessa cidade ( que não sou eu, nem a Daniela Mercury) estão aí, muitas vezes diante dos nossos olhos, debaixo dos nossos narizes. O repórter fotográfico André Rodrigues foi até o Jardim Botânico e, além de olhar para as já conhecidas belezas do local, fez esse click aí. As cores do cata-vento, as “não cores” da bela imagem de Carlitos ao fundo, o táxi, um cantinho de céu azul. Há cores em tudo que vemos. Basta querer enxergar. (Eduardo Luiz Klisiewicz)