Artista cria música em homenagem ao bairro Boqueirão, em Curitiba - Caçadores de Notícias | Tribuna PR - Paraná Online

Publicidade

Boqueirão

Boquera é meu país

Artista curitibano cria rap sobre o bairro Boqueirão e viraliza na internet. Atores do vídeo são amigos de Luccas que ainda vivem no “Boquera”

O seu bairro tem um hino? Não? Pois se você mora no Boqueirão, em Curitiba, saiba que o bairro ganhou um hit de sucesso como homenagem. E foi feito pelo curitibano Luccas Soares, 27 anos, que é músico, ator, produtor e diretor de cinema. A música que ele criou, a “#Boquera”, viralizou na internet. Em nove dias, o vídeo oficial já tinha quase 25 mil visualizações no YouTube e mais de 100 mil no Facebook (mais do que a população do Boqueirão, estimada pelo IPPUC em 73 mil pessoas, em 2015).

Leia mais! Conheça do piá de Curitiba que virou meme na internet após foto viralizar!

Luccas não mora mais no Boqueirão há 10 anos. Mas a ligação que ele tem com o bairro faz jus à máxima que se repete pelas ruas da região: “Você sai do Boqueirão, mas o Boqueirão não sai de você”. E desta forma, ele decidiu criar uma música que mostrasse o que a juventude da época dele viveu por ali, os locais que todo mundo frequentava (e ainda frequentam) e os “pontos turísticos” da região, como o Quartel do Boqueirão, o hot dog da Yracema, a Praça Menonitas, o Cemitério do Boqueirão e muitos outros pontos memoráveis. As cenas do clipe são gravadas nestes locais.

boquera4

E para ter um apelo bem Boqueirão, Luccas convidou os amigos da infância para estrelarem o vídeo. E não pediu nenhum tipo de figurino específico a ninguém. “Deixei que viessem com qualquer roupa que quisessem vir, pra ficar bem do jeito do povo do Boqueirão”, brincou o artista. Até um “Chevettão” apareceu pra estrelar as cenas.

Coisa de ‘vileiro‘

Foto: Arquivo pessoal
Foto: Arquivo pessoal

Alguns amigos atuaram no vídeo. Outros, preferiram ficar atrás das câmeras dando idéias e ajudando na produção junto a Rhaissa Soares, esposa de Luccas. O Victor Cordeiro de Melo, o ‘Tide‘, o ‘Tidão‘, ou ‘Tidinho‘ (no Boqueirão, dizem eles, todo mundo tem no mínimo dois apelidos) foi um amigo que fez muita coisa junto com o artista na juventude. Foram muitas vezes à Yracema, jogaram muito futebol e fizeram muitas ‘dancinhas‘.

Leia mais! Empresárias de Curitiba viraram pedreiras e inovam o mercado!

Antigamente, no bairro, existia uma balada chamada Planeta Ibiza. Victor garante que não frequentava o lugar, mas com os amigos que iam na balada ele aprendeu as ‘dancinhas‘, geralmente feitas em grupo e por amantes de vários estilos musicais. ‘Eu via na escola eles fazendo e ia aprendendo‘, disse ele, que por isto sugeriu criar a dancinha do #Boquera. Aliás, a idéia de gravar no terminal do Boqueirão também foi do Victor.

Rap “bairrista”

Luccas estudou o trabalho de alguns dos rappers mais famosos do Brasil e do mundo. E mostra que uma característica comum à maioria é mostrar a região de onde vieram e o que a população destes locais vive no dia a dia. “Nos Estados Unidos, por exemplo, é muito comum os rappers falarem dos problemas da periferia de onde vieram, falar o nome do bairro. O Bronx é um berço do rap e os músicos falam muito de lá em suas letras. No Brasil também não é diferente. E quando eles crescem na música, fazem sucesso, passam a ser adorados em suas comunidades, pois aquilo representa esperança para as pessoas dali”, diz Luccas, que está indo passar uma temporada a trabalho em Miami e quis levar consigo um pouco da força do Boqueirão.

Foto: Arquivo pessoal
Foto: Arquivo pessoal

Rumo a Miami

Apesar da inspiração declarada em grandes personalidades do rap mundial, uma coisa na música de Luccas é bem diferente destes músicos. A maioria das letras dos raps são muito sérias, falam de problemas, por vezes são intensas e pesadas ao falar da criminalidade. Já a “#Boquera” é engraçada do começo ao fim, na letra e no vídeo. “Não tem como falar do Boqueirão sem ser comédia. Aliás, este é um lado meu que nem todo mundo conhece. As pessoas às vezes me acham sério. Mas meus amigos sabem desse meu lado comédia, sempre brincando com as coisas e as pessoas”, diz o artista, que está lançando o DVD “Estado Frio”, com a maioria das músicas “sérias”, mas também com pegadas “cômicas” nos hits “#Boquera” e “Hoje a Casa é Nóis” (gravado no Japão). Luccas também tem pegadas sentimentais. Um exemplo é o rap “Brad”, que criou para o seu cão da raça Golden Retrivier, o “Brad”, que o acompanha em muitos shows e projetos. O clipe de “Brad” foi a primeira obra de Luccas a viralizar nas redes.

Quem é o Luccas?

Foto: Arquivo pessoal
Foto: Arquivo pessoal

Luccas morou no Boqueirão até os 17 anos, quando decidiu pegar a estrada para realizar o sonho de ser ator. Depois de uma temporada atuando no teatro e no cinema, foi para os Estados Unidos fazer um curso de diretor de cinema. “Fui conhecer como é toda a engrenagem da roda”, disse Luccas, referindo-se a entender como funcionava todo o processo de cinema, mas não para ser diretor, simplesmente para ser um ator “completo”. Mas o curso e um convite para dirigir uma novela nas Filipinas (trabalho que acabou não se concretizando) mudaram a vida do jovem.

O artista decidiu dirigir os seus próprios trabalhos. E assim, rodou 44 países do mundo para dar cabo dos projetos profissionais. “Foi a melhor decisão que tomei”, ressalta ele, que depois de muitos cases bem sucedidos no currículo, abriu a sua própria produtora (a International House of Cinema, que fica no bairro Novo Mundo e tem escritório em Miami), já trabalhou com artistas como a curitibana Karol Conká e o carioca Jorge Vercillo e, entre os seus fãs, tem uma legião de crianças que adoram o trabalho dele como rapper.

Apesar de estar lançando o seu primeiro DVD, Luccas diz que a música aconteceu por acaso em sua vida. Ele continua querendo atuar, mas tomou gosto pela música e deve levar as duas coisas em paralelo.

Concurso da Amazon

Ontem, Luccas embarcou para Miami, para cuidar de projetos profissionais lá. A Amazon, empresa gigante de comércio eletrônico, está para abrir uma nova sede em alguma cidade do mundo que ainda está escolhendo. A nova sede deverá gerar cerca de 50 mil novos empregos no local onde ela se instalar e por isto a empresa abriu concurso, para que as cidades se candidatem. Como uma das etapas de seleção era produzir um vídeo falando sobre a região, a prefeitura de Miami decidiu se candidatar e convidou Luccas para produzir seu vídeo.

Luccas acredita que seu trabalho deve ter ficado muito bom, pois entre dezenas de candidatas, Miami foi selecionada para ficar no TOP 20. O resultado final ainda não saiu e a próxima etapa não depende mais do vídeo, mas o artista está confiante que o seu projeto tenha ajudado a impressionar os jurados.

Sobre o autor

Giselle Ulbrich

(41) 9683-9504