Guardas municipais de Curitiba poderão aplicar multas | Tribuna PR - Paraná Online

Publicidade

Curitiba

Novos fiscais

Escrito por Luiza Luersen

Conforme a prefeitura, 350 guardas passaram por treinamento pra atuar como agentes de trânsito

A partir do ano que vem, os motoristas que circulam em Curitiba poderão ser multados pela Guarda Municipal. A mudança foi assinada pelo secretário municipal de Defesa Social e Trânsito, Guilherme Rangel, e passa a valer em janeiro. De acordo com a Superintendência de Trânsito da Secretaria Municipal da Defesa Social, 350 guardas passaram por treinamento para atuar como agentes de trânsito.

Conforme o secretário, os guardas estão habilitados a notificar condutas irregulares de motoristas, como estacionamento irregular e excesso de velocidade, principalmente nos locais em que os GMs já estão presentes, como parques, bosques, escolas e eventos, além de apoio eventual a operações da Superintendência de Trânsito (Setran). “Queremos que o motorista respeite as leis de trânsito, para garantir mais segurança a ele, a outros motoristas, ciclistas e pedestres”, explicou Rangel.

Foto: Átila Alberti.
Foto: Átila Alberti.

Para a mudança, durante este ano, centenas de guardas municipais foram certificados pelo Departamento de Trânsito do Paraná (Detran). Os agentes receberam aulas práticas e teóricas. Além disso, segundo a superintendência, outros GMs deverão ser credenciados em breve, e quando esse processo terminar, o número de fiscais em Curitiba deve duplicar.

O diretor-geral da Guarda Municipal de Curitiba, Odgar Nunes Cardoso, explicou que a nova atividade dos servidores da corporação foi regulamentada pelo decreto 1.698/2017, que acrescenta este item às atribuições específicas da carreira da Guarda Municipal, e que o trabalho continua da mesma forma, mas com uma tarefa a mais. “Iremos atuar como um complemento nessas ações, sem alteração nas tarefas atualmente desempenhadas pela Superintendência de Trânsito (Setran)”, enfatizou.

A data exata da mudança ainda não foi divulgada, mas deve ser anunciada nos próximos dias. O primeiro teste dos guardas na nova função aconteceu durante a implantação do binário nas Ruas Mateus Leme e Nilo Peçanha, no final de novembro. Eles deram apoio à Setran nas ações de orientação do trânsito.

A Tribuna do Paraná conversou com alguns motoristas e muitos concordaram com a mudança, mas outros questionaram que com os guardas exercendo mais uma função de fiscalização, a segurança na cidade pode ficar comprometida. O medo é que a capital fique ainda mais violenta, já que a GM exerce um papel essencial quando o assunto é o combate à criminalidade. Por outro lado, alguns motoristas apoiaram a mudança e acreditam que a imprudência no trânsito deve diminuir diante deste reforço na fiscalização.

Veja o que disseram os curitibanos ouvidos pela Tribuna do Paraná:

“Eu fiquei surpreso com essa mudança e não concordo, isso porque já temos muitas pessoas para nos multar. Eu acho que a cidade virou uma fábrica de multas, com objetivo de arrecadar dinheiro. Agora para onde vai esses recursos nós não sabemos. Além disso, acredito que já são poucos guardas na cidade, agora esse pequeno contingente ainda precisará aplicar multas. Em vez de cuidar da segurança, eles vão trabalhar para a fábrica de multas. Não concordo!” argumentou o motorista Roberto Curdi, 50 anos.

Foto: Átila Alberti.
Foto: Átila Alberti.

“Achei uma excelente ideia. Acredito que esta medida vai acarretar em melhora na hora de dirigir. Muita gente acaba não cumprindo as regras. Quanto a segurança, eu acredito que não irá fazer falta, porque eles não saem de uma função, mas passam a complementar o que já fazem diariamente”, opinou Rafaela Rangel, 35 anos.

Foto: Átila Alberti.
Foto: Átila Alberti.

“Eu não sabia dessa mudança e achei super legal. Eu acho que tem muita gente fazendo besteira no trânsito e essa medida só traz mudanças positivas. Afinal, mais gente trabalhando nas ruas com certeza deve reduzir o número de acidentes e outros problemas”, Cristiane Dalprá, 33 anos.

Foto: Átila Alberti.
Foto: Átila Alberti.

“Uso bicicleta nas horas vagas, mas tenho carteira de motorista. Acho que vai ser bom para cidade e acredito que trará mais segurança para ciclistas e motoristas, com certeza. Mas acho que no quesito segurança, os guardas municipais vão fazer um pouco de falta para a cidade”, Sidney Andrade, 41 anos.

gm6

Sobre o autor

Luiza Luersen

(41) 9683-9504