Casamento no cinema? Noivos fazem cerimônia inusitada em Curitiba / Tribuna PR - Paraná Online

Publicidade

Hauer

Casamento inusitado!

 

Se eles parassem para contar a própria história, certamente terminariam o relato com aquele famoso “e viveram felizes para sempre”. Talvez seja assim mesmo a história de Maycow Edling, 26 anos, e Luany Edling, 18, que se conheceram no cinema e decidiram imortalizar a própria história, tomando a ideia mais inusitada que eles mesmos poderiam ter: casar na mesma sala de cinema onde tudo começou. O casamento aconteceu na manhã deste sábado (12), no Shopping Cidade, no bairro Hauer, em Curitiba.

Maycow, estudante de Pedagogia, contou que os dois se conheceram em 2015, durante um culto da Igreja no Cinema (INC). “Começamos a namorar e a partir daí, quando surgiu a ideia do casamento, pensamos em casar no cinema. Não só pela história com a igreja, mas também porque o nosso hobby sempre foi o cinema, não teria lugar melhor para eternizarmos isso”.

Luany disse que tomar a decisão de casar no cinema não foi algo tão difícil e que aceitou assim que Maycow sugeriu. “Como frequentamos a INC, isso se tornou algo comum pra gente, estamos sempre no cinema. Pra mim, o que a gente decidiu fazer é só eternizar a nossa história”, comentou, emocionada antes de subir ao altar (ou de descer a escadaria da sala de cinema).

Foto: Felipe Rosa
Foto: Felipe Rosa

Mais ou menos como na música All Star, de Nando Reis, mas mais uma vez fazendo diferente: ele usava um tênis All Star vermelho e, ela, um branco, da mesma marca. Contrariando a principal tradição das noivas, Luany ainda entrou vestida de preto e contou que essa foi a principal dificuldade. “Foi muito julgamento, mas acho que a gente não deve seguir padrão, você tem que ser você e manter sua personalidade”.

Mesmo fora dos padrões comuns, a cerimônia seguiu o mesmo rito de sempre: primeiro entrou o pastor, depois o noivo, os padrinhos, as daminhas, os pais dos noivos e, por fim, Luany. A marcha nupcial até foi tocada, mas a noiva entrou ao som de Sweet Child O’ Mine, da banda de rock Guns N’ Roses, mais uma vez quebrando paradigmas.

Sem “the end”

Ao contrário dos filmes no cinema, onde a história acaba quando sobem as letras dos créditos, o pastor Vinicius Kakol lembrou que o que Maicow e Luany estão construindo a partir de agora não vai ter um “the end”. “Sem ficção, sem vilões, sem mocinhos e sem princesas. Aqui começa uma história real, de um novo começo de uma vida a dois, mas que não é para ter um fim”.

Foto: Felipe Rosa
Foto: Felipe Rosa.

Ao fim, o All Star dele se juntou ao dela, e Maycow, o noivo, considerou que o cinema nunca mais vai ser visto como antes. “Agora vai ser sempre o lugar onde a gente completou um sonho. Quero ser diferente, fazer a diferença na vida das pessoas, assim como pessoas fizeram a diferença na minha vida, esse é o meu sonho com ela”.

Para o pai da noiva, Lázaro de Oliveira, a decisão do casal pode até ter sido motivo para torcer o nariz no começo, mas surpreendeu. “Foi inovador, algo muito bom, que demonstra que o amor pode acontecer de diferentes formas, como eles conseguiram demonstrar para nós e quebrar os paradigmas que tínhamos. São novos tempos e a gente tem que se adequar à nova realidade que está surgindo”, disse. “Foi lindo e o mais importante é que esse filme não teve ‘the end’ e sim eternamente”, completou Marta de Oliveira, a mãe de Luany.

E o futuro?

No sétimo período de pedagogia, os planos de Maycow ainda devem seguir até a conclusão dos estudos. “Já eu quero fazer enfermagem, mas não no Brasil, vamos tentar sair do país para fazer. Nossa ideia é viajar, construir nossa família, nossa vida”, revelou Luany, completando que o cinema jamais vai sair da história deles. “Pelo contrário, já combinamos que toda terça-feira a gente vai assistir a algum filme”. “Sem dúvidas, vamos continuar assistindo a muitos filmes”, brincou Maycow.

Foto: Felipe Rosa
Foto: Felipe Rosa.

Sobre o autor

Avatar

Lucas Sarzi

Jornalista formado pelo UniBrasil e que, além de contar boas histórias, não tem preconceito: se atreve a escrever sobre praticamente todos os assuntos.

(41) 9683-9504