Sentido do Natal - Caçadores de Notícias

Publicidade

Hauer

Sentido do Natal

Ela morava no Rio de Janeiro e tem uma história de vida que passou do sofrimento para a alegria, mas não foi de um dia para o outro. Ao longo de seus 68 anos, Maria das Graças Graminho, ou simplesmente “Dona Maria”, como é conhecida na Rua Canal Belém, no Hauer, aprendeu a ser feliz com o que tem e com o que conquista a cada dia. A vida simples que ela leva se assemelha à história de Jesus, que além de ter nascido numa simples manjedoura, é filho de uma Maria.

A ideia de simplicidade é exatamente o que ela quer mostrar. Todos os anos, há pelo menos 18 anos, Maria enfeita a casa por completo: preenche as árvores com luzes, cria decorações com materiais recicláveis e monta um presépio para quem quiser visitar. “Isso me faz feliz. E eu faço com todo o meu amor”.

A cada ano, Maria aumenta a quantidade de adereços para decorar a casa. Foto: Lucas Sarzi.
A cada ano, Maria aumenta a quantidade de adereços para decorar a casa. Foto: Lucas Sarzi.

Maria contou que começou a decorar a própria casa depois que viu uma mulher enfeitando uma árvore na rua. “Tive a ideia de fazer igual, mas do meu jeito. Comecei a enfeitar e percebi que minha casa ficava mais animada. No segundo ano, as pessoas já começaram a vir ver. Agora, chega outubro e as pessoas começam até a me perguntar se não vou começar a decorar”.

Apaixonada pelo Natal, Maria das Graças disse que esquece até de comer. “De tanto que eu me preocupo com a decoração e com que tudo esteja sempre funcionando. A minha maior alegria é ver que alguém veio até a minha casa, que não fica num bairro de rico, para poder ver o que fiz”.

Leia mais: Motorista e passageiros se unem para arrecadar brinquedos

Doações ajudam

Maria contou que, depois de tanto tempo repetindo a decoração e melhorando sua criatividade, a casa dela se transformou num verdadeiro ponto turístico no bairro. “E as pessoas me perguntam como tenho coragem de deixar tudo aberto, para quem quiser entrar e visitar, mas eu digo que não tem o que roubar. E se alguma criança quiser levar um dos ursinhos, também não seria por mal”.

Boa parte da decoração de cada ano vem de doações de quem conhece a paixão dela pelo Natal. “As pessoas ajudam bastante. Recebo doação de muita coisa, até mesmo de pisca-pisca que não funciona, eu arrumo e faço ligar de novo”.

Namorado ajuda na decoração. Foto: Lucas Sarzi.
Namorado ajuda na decoração. Foto: Lucas Sarzi.

Além das doações dos objetos para decorar, Maria também recebe uma força do namorado, que tem 10 anos a mais que ela e é o que mais lhe apoia. “No dia 24, a gente reúne com uma amiga e o pai dela se veste de Papai Noel. Compro bala para as crianças e fazemos uma verdadeira festa na frente de casa”.

De bem com a vida, Maria recebe a todos com um sorriso no rosto. A felicidade parecia ainda mais completa com a chegada da reportagem, já que ela tinha um sonho. “As pessoas costumam mostrar só a parte rica nessa época e agora fica esquecido. Falei que meu maior sonho seria ser entrevistada e isso seria um presente de Natal”.

O que ela não sabia, é que já estava sendo entrevistada. Mas como surpresa, ao vivo, Maria ainda contou um pouco mais de sua vida e deu um show no quesito humanidade. Veja:

Realização pessoal

Hoje trabalhando como vendedora autônoma de uma empresa de consignação de Curitiba, Maria está bem. No passado, quando chegou a Curitiba com dois filhos pequenos, uma menina com poucos meses de vida e um garoto com quatro anos, as coisas não foram tão boas. “Nós chegamos a morar em manilhas da prefeitura, que ficavam às margens do Rio Belém. Sofri muito com meus dois filhos, mas me reergui e hoje tenho minha casa”.

Com os dois filhos já crescidos, Maria já pode se dar ao luxo de ter uma vida ainda mais completa, apesar de simples. “Muita gente me ajudou para que eu chegasse até aqui e eu nunca desisti. Apesar de tudo, nunca me faltou amor e saúde. Me sinto realmente realizada, em todos os sentidos”.

A ideia que Maria quer passar, é àquela que muitas vezes se perde nessa época. “É tanta gastança, é tanta gente pensando só em dinheiro, mas o que eu quero com o que eu faço é mostrar que o Natal é sinônimo de humildade. Jesus nunca ligou para riqueza, nunca se preocupou com os bens materiais que nós temos, então, nada mais justo do que sermos humildes e nos mantermos sempre dessa forma”.

 

Sobre o autor

Avatar

Lucas Sarzi

Jornalista formado pelo UniBrasil e que, além de contar boas histórias, não tem preconceito: se atreve a escrever sobre praticamente todos os assuntos.

(41) 9683-9504