Unidos pelo futebol - Caçadores de Notícias

Publicidade

Lindóia

Unidos pelo futebol

Todas as terças e quintas-feiras, quando volta do trabalho, o metalúrgico Juvenil Mizael, o “Nil”, 40 anos, tem compromisso marcado com crianças e adolescentes que são treinadas por ele das 18h às 22h. Junto com a esposa, filhos e membros da comunidade, Nil – que já jogou no Vila Fanny, Vila Hauer, São Paulinho, Novo Mundo e Capão Raso -, mantém, com recursos próprios e algumas doações, a Associação Esporte Clube Mengão Lindóia. O projeto social oferece aulas de futebol para evitar que os jovens sejam seduzidos pelo mundo das drogas e do crime.

“O projeto vai fazer cinco anos. Tive esta ideia porque gosto de futebol e por achar que nosso bairro e nossos jovens estavam abandonados. Algumas crianças já passavam bastante tempo comigo e com meus filhos na cancha de futebol em frente à minha casa. Depois que começamos, um espalhou para o outro e, de lá para cá, já trabalhamos com mais de 60 crianças e adolescentes”, conta.

Sonhos

Projeto existe há 5 anos. Foto: Pedro Serápio.
Projeto existe há 5 anos. Foto: Pedro Serápio.

Aluna da escolinha, a estudante Isabelly Ferreira de Andrade, 12, conta que desde que chegou ao bairro, há três anos, se interessou pelas aulas de futebol.  “Vi os piás jogando, pedi para o meu pai e ele autorizou que eu participasse. Hoje jogo em campeonatos e pretendo ser jogadora profissional, como a Marta, da seleção”. Outro atleta que sonha em seguir carreira no futebol é Lucas Pinheiro da Luz, 11, que frequenta a escolinha com seus dois irmãos, André, 15, e Kauan, 9. “Treino para ser jogador. Sou atacante e me inspiro no Messi”.

Para a mãe de Lucas, André e Kauan, a dona de casa Zenilda Pinheiro, 36, o projeto de Nil oferece mais do que aulas de futebol. “O projeto muda o comportamento dos jovens. Meus filhos sabem que se não obedecerem não podem ir treinar. Eles também melhoraram na escola, o Nil cobra boas notas de todos. E graças à escolinha, os jovens têm a oportunidade de ficar longe das drogas e do tráfico”, atesta.

Faltam recursos

Luisa: Se desobedecer, não joga. Foto: Pedro Serápio.
Zenilda: Se desobedecerem, não treinam. Foto: Pedro Serápio.

Segundo a secretária da Associação Esporte Clube Mengão Lindóia, Michele Barbosa, 37, todas as crianças que treinam e participam de campeonatos estão registradas e são acompanhadas. A entidade fornece uniformes, bolas, lanches e transporte para os jogos, tudo pago com muito esforço dos jogadores veteranos, pais e voluntários. “A gente se junta e compra, não temos nenhum tipo de apoio ou verba de empresas ou governos. Enfrentamos muitas dificuldades, mas não desistimos. Sonhamos com mais recursos e com uma estrutura melhor, como uma quadra coberta”.

Solidariedade

A Associação Esporte Clube Mengão Lindóia precisa de ajuda para organizar a festa do Dia das Crianças, que será realizada no dia 10 de outubro. Todos os anos Nil e seus voluntários organizam uma confraternização para os atletas da escolinha e para as crianças do bairro. Para ajudar com a festa ou com a manutenção do projeto entre em contato pelo 8410-4814, https://pt-br.facebook.com/Assmengaolindoia ou https://pt-br.facebook.com/torcidamengaolindoia

Serviço

Associação Esporte Clube Mengão Lindóia
Endereço: Rua Antero de Quintal, 205, Lindóia
Quase esquina com a Rua Oscar Wilde.
Fone: 8410-4814 (Nil)

Leia mais sobre Lindóia.

Sobre o autor

Paula Weidlich

Paula Weidlich

(41) 9683-9504