Fusão de escola e CMEI em Curitiba é cancelada / Tribuna PR - Paraná Online

Publicidade

Portão Santa Quitéria

Voltando atrás

Após a repercussão negativa do anúncio da fusão da Escola Municipal Professora Maria Nicolas, no Portão, com o Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Nice Braga, no Santa Quitéria, a Prefeitura de Curitiba e a Arquidiocese de Curitiba voltaram atrás e garantiram que não haverá mais integração entre as escolas.

Na semana passada, a notícia da fusão entre as escolas causou revolta entre os pais dos alunos de ambas as instituições, já que, com a integração, alunos de idades muito diferentes seriam “misturados”, o que prejudicaria a qualidade do ensino.

A fusão se daria pelo fato de que o imóvel da Escola Maria Nicolas é alugado, pertence à igreja católica e a Arquidiocese teria dito que não iria renovar o contrato de aluguel. Sendo assim, os alunos da Maria Nicolas seriam realocados no Nice Braga.

A confusão começou logo no início do ano, em uma reunião entre as partes. Na ocasião, segundo a Prefeitura, a Arquidiocese teria sinalizado que não renovaria o aluguel do imóvel e, por causa disso, a administração municipal começou a procurar outros imóveis na mesma região.

Não encontrando um imóvel adequado por perto, a prefeitura optou pela fusão das escolas e, na semana passada, o assunto tornou-se público aos pais, que se revoltaram por não terem sido chamados a discutir o assunto. Os pais se mobilizaram, criaram um abaixo assinado, uma página no Facebook e um evento para protestar contra a decisão.

Falha na comunicação

O imóvel em questão é da Paróquia Santa Izabel, situada na região. Um representante informou à Tribuna do Paraná que a paróquia e a Mitra da Arquidiocese não pediram o prédio da escola de volta, muito menos houve a comunicação do fato ao proprietário. Na última sexta-feira (27), o Padre José Aparecido Pinto, administrador da Arquidiocese, ainda assegurou, em entrevista ao telejornal Paraná TV, que o contrato de locação existe e que há intenção de mantê-lo (o contrato atual vence em fevereiro do ano que vem).

Por conta da manifestação do padre na mídia, a prefeitura informou, através de nota, que não haverá a fusão das escolas e tudo permanece como está. Sendo assim, apenas alguns reparos necessários serão feitos na Escola Maria Nicolas, para continuar atendendo os alunos no ano que vem.

Mas, como não houve um encontro formal entre prefeitura e Arquidiocese e as manifestações de ambos foram feitas apenas através da mídia, as partes devem se encontrar na manhã desta segunda-feira para acertar formalmente a continuidade do contrato de locação.

Segundo a Arquidiocese de Curitiba, não há intenção de romper o contrato de aluguel do imóvel da Escola Municipal Maria Nicolas com a Prefeitura. Foto: Átila Alberti
Segundo a Arquidiocese de Curitiba, não há intenção de romper o contrato de aluguel do imóvel da Escola Municipal Maria Nicolas com a Prefeitura. Foto: Átila Alberti

Protesto

Apesar da notícia de que a fusão não vai mais acontecer, os pais dos alunos das duas escolas ainda estão preocupados e decidiram manter o protesto que organizaram. Ele ocorre nesta segunda-feira (30), a partir das 8h em frente ao CMEI Nice Braga,a Rua Irati.

Sobre o autor

Giselle Ulbrich

Giselle Ulbrich

(41) 9683-9504