Publicidade

Tatuquara

Sol pra todos

Movida pela vontade de ajudar e contando apenas com o apoio do marido e de amigos, a analista de sistemas Bianca Baldini, 34 anos, há três anos faz dos sábados no Jardim Bela Vista, Tatuquara, dia de aprimoramento para 30 crianças e jovens de área de risco social. O trabalho da ONG Um Lugar ao Sol foi iniciado há três anos, mas desde 2007, a fundadora desenvolve ações para passar valores e para amenizar problemas dos mais carentes.

Objetivo da ONG é desenvolver ações para passar valores e para amenizar problemas dos mais carentes. Foto: Giuliano Gomes.
Objetivo da ONG é desenvolver ações para passar valores e para amenizar problemas dos mais carentes. Foto: Giuliano Gomes.

“Comecei recolhendo brinquedos e distribuindo no Natal, mas queria fazer mais. Em julho de 2012, conseguimos espaço para melhorar a formação de crianças e adolescentes, que é a base do Projeto Jovens Sementes”, recorda. No primeiro ano do projeto, Bianca optou por dar aulas de inglês para crianças entre 9 e 12 anos. “Percebi nas aulas que antes do inglês precisaria trabalhar a língua portuguesa, dada a dificuldade de compreensão que eles apresentavam, mesmo já tendo idade para estarem alfabetizados”, conta. “Infelizmente, muitos chegam sem saber ler e escrever”.

Brincar

No segundo ano, Bianca passou a ensinar português, tanto gramática quanto literatura.
No ano passado a disciplina trabalhada foi matemática e, este ano, junto ao reforço escolar, dois professores voluntários estão desenvolvendo o grupo com aulas de música e educação física.
“É impressionante como essas atividades resgatam a vontade de brincar deles, pois muitos chegam aqui querendo agir como adultos, principalmente em assuntos relacionados à própria sexualidade”, observa Bianca.

Formiguinhas

Prédio da ONG Um Lugar ao Sol. Foto: Giuliano Gomes.
Prédio da ONG Um Lugar ao Sol. Foto: Giuliano Gomes.

A presidente da ONG e os professores e amigos voluntários buscam transmitir valores e orientar cada integrante sobre os próprios problemas e desafios. “É um trabalho de formiguinha, pois cada um que está aqui tem um histórico muito grave de problemas relacionados a desajustes familiares, drogas e violência. E o que tentamos fazer aqui é mostrar que existe um caminho certo para seguir na vida e que eles têm essa opção”, destaca.

Vontade de ampliar

Apesar da ONG Um Lugar ao Sol estar regularizada, a instituição não recebe ajuda governamental.
Todos os recursos vêm de pessoas que acreditam na proposta e da própria fundadora. Por esta razão que eles não é possível aumentar o número de crianças e jovens atendidos. “Dependo da minha profissão para fazer tudo isso, da enorme colaboração do meu marido, que comprou até uma Kombi para buscarmos os integrantes que vêm de outra comunidade mais distante, a Boa Esperança 3, e desses poucos colaboradores, para pagar o aluguel da unidade no Bela Vista”, explica.

O sonho de Bianca é ter uma sede e poder se dedicar em tempo integral à ONG. “Vejo que é possível mudar o curso da vida de muitos dele e essa satisfação é incomparável”. Quem quiser colaborar com a instituição pode fazer doações, ser padrinho e contribuir regularmente com um ou mais atendidos pelo projeto Jovens Sementes.
Também é possível atuar como voluntário, oferecendo novas atividades.

Serviço:

ONG Um Lugar ao Sol
Email: umlugaraosol@gmail.com
Facebook: www.facebook.com/ongumlugaraosol

Leia mais sobre o Tatuquara.

 

Sobre o autor

Magaléa Mazziotti

(41) 9683-9504