Cônjuges, pai, filhos, prima, sobrinho… Como ocorre em todo ano eleitoral, políticos com mandato eletivo tentaram transferir votos para membros da própria família. Mas como os candidatos com sobrenome conhecido saíram nas urnas de domingo (15)? A reportagem encontrou 17 candidatos a algum cargo eletivo em 2020 pertencentes a famílias dos atuais deputados estaduais, deputados federais e senadores pelo Paraná, e também dos atuais vereadores de Curitiba. Do grupo, apenas cinco conseguiram se eleger.

+Viu essa? Candidatos a prefeito no interior do Paraná recebem a mesma quantidade de votos

Esposa do deputado estadual Fernando Francischini (PSL), Flávia Francischini (PSL) conseguiu se eleger vereadora de Curitiba com 4.540 votos. Ao longo da campanha eleitoral, era comum ver Flávia Francischini na propaganda de TV do marido, que ficou em terceiro lugar na disputa pela prefeitura de Curitiba e voltou para a Assembleia Legislativa.

O deputado federal Boca Aberta (Pros), que no domingo fracassou na disputa à prefeitura de Londrina, também conseguiu ajudar na vitória de sua esposa, Mara Boca Aberta (Pros), para uma das cadeiras da Câmara de Vereadores. Com 6.192 votos, ela foi a vereadora mais votada entre os inscritos neste ano para o Legislativo de Londrina. Em 2018, Boca Aberta já tinha conseguido eleger o filho, Boca Aberta Junior (Pros), para a cadeira de deputado estadual. Nestas eleições de 2020, Boca Aberta Junior concorria como vice-prefeito de Londrina, na chapa encabeçada pelo pai.

Já a esposa do deputado estadual Soldado Fruet (Pros), Tatiana Fruet (Pros), ficou em quinto lugar na disputa pela prefeitura de Foz do Iguaçu. Ela fez 5.243 votos. Quem também ficou em quinta posição, na corrida à prefeitura de Maringá, foi a esposa do deputado federal Luiz Nishimori (PL), Akemi Nishimori (PL). Ela obteve 4.361 votos.

A candidata do Podemos à prefeitura de Curitiba, Carol Arns, que é filha do senador Flávio Arns (PODE), também não foi eleita: na sua primeira disputa eleitoral, ela fez 22.360 votos e ficou em sexto lugar. Já o atual prefeito de Guaratuba, Roberto Justus (DEM), conseguiu ser reeleito no domingo, com 10.701 votos: ele é filho do deputado estadual Nelson Justus (DEM).

+Leita também! Vereador que votou contra aumento do próprio salário é campeão de votos em Araucária

Já a deputada federal Christiane Yared (PL), que também estava na disputa pela prefeitura de Curitiba, lançou o filho Jonathan Souza Yared (PL) para a Câmara de Vereadores da capital. Com o nome de urna “Yared Filho”, ele fez 1.093 votos e não conseguiu um assento na Casa. A deputada federal também não obteve vitória na corrida majoritária: fez 32.677 votos e ficou em quinto lugar ao Palácio 29 de Março. A candidata a vice-prefeita de Curitiba na chapa de Yared era Jilcy Rink (PL), mãe do atual vereador da capital Paulo Rink (PL). O ex-jogador de futebol tentou a reeleição, mas foi derrotado nas urnas de domingo.

Rafaela Lupion (DEM), que é prima do deputado federal Pedro Lupion (DEM), também não conseguiu uma vaga na Câmara de Curitiba. Ela fez 4.032 votos. “Vocês conhecem meu trabalho, sabem o que estou fazendo em Brasília. Conhecem o trabalho da minha família durante muitos anos aqui no Paraná. Quero apresentar a vocês a Rafaela Lupion, que é minha prima, mais irmã do que prima, fomos criados juntos”, descreveu Pedro Lupion em vídeo de campanha.

+Viu essa? Prefeitos que disputaram reeleição conquistam vitória na maioria da RMC

Alexandre Leprevost (SD), que é irmão do deputado federal licenciado Ney Leprevost (PSD), conseguiu uma cadeira na Câmara de Curitiba. Ele foi eleito com 4.385 votos, o mais votado no Solidariedade (SD). Licenciado para atuar como secretário na gestão Ratinho Junior (PSD), Ney Leprevost ensaiou disputar a prefeitura de Curitiba, mas não teve o apoio do seu partido e anunciou desistência às vésperas das convenções. Entre os doadores da campanha de Alexandre Leprevost, estão mais de 30 servidores comissionados da pasta comandada por Ney Leprevost no governo do Paraná, a Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho.

Outro deputado estadual licenciado para a gestão Ratinho Junior é Marcio Nunes (PSD): sua esposa, Fatima Nunes (PSD), foi eleita vice-prefeita de Campo Mourão, na chapa encabeçada por Tauillo Tezelli, do Cidadania. Marcio Nunes é o atual secretário estadual do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo.

Concorrendo pelo PSL a uma vaga na Câmara de Curitiba, Rodrigo Reis, que é filho da vereadora Julieta Reis (DEM), não conseguiu se eleger. Ele fez 3.205 votos. Já Julieta Reis chegou a se inscrever nas eleições, em busca do sétimo mandato na Casa, mas acabou renunciando. O vereador de Curitiba Cristiano Santos (PV) também não disputou a reeleição, mas seu pai, o ex-deputado estadual Roberto Aciolli (PV), estava na lista de candidatos a uma cadeira no Legislativo da capital. Fez 1.631 votos e acabou derrotado.

Para a Câmara de Curitiba, a candidata Iza Galo (PSL), que é filha do deputado estadual Galo (PODE), também não se elegeu: fez apenas 203 votos. “É um sonho dela. E eu estou apoiando este sonho”, disse o parlamentar em vídeo de campanha. Outra candidata a uma das cadeiras do Legislativo da capital, Michelli Recalcatti (PSD), que é sobrinha do deputado estadual Delegado Recalcatti (PSD), também perdeu nas urnas: fez 423 votos.

Outra concorrente à Câmara de Curitiba, Mônica Braga Côrtes (PODE) fez 2.311 votos, mas não se elegeu: ela é prima do vereador da capital Felipe Braga Côrtes (PSD), que não tentou a reeleição. “Eu até sou suspeito, porque ela é minha prima, mas eu tenho a absoluta certeza que ela será uma excelente vereadora”, disse Felipe Braga Côrtes em vídeo de campanha.

Com 1.230 votos, um integrante da família Borghetti, Octavio Boscardin Borghetti (PP), também não se elegeu vereador da capital: ele é primo da deputada estadual Maria Victoria (PP) e sobrinho da ex-deputada federal e ex-governadora do Paraná Cida Borghetti (PP). Cida é casada com o deputado federal Ricardo Barros (PP).

Confira abaixo quem se elegeu e quem não se elegeu nas eleições de domingo (15), entre cônjuges e parentes de políticos com mandatos eletivos hoje (deputados estaduais, deputados federais e vereadores de Curitiba):

Eleitos

*Flávia Francischini (PSL), esposa do deputado estadual Fernando Francischini (PSL), se elegeu vereadora de Curitiba
*Mara Boca Aberta (Pros), esposa do deputado federal Boca Aberta (Pros), se elegeu vereadora de Londrina
*Roberto Justus (DEM), filho do deputado estadual Nelson Justus (DEM), foi reeleito prefeito de Guaratuba
*Alexandre Leprevost (SD), irmão do deputado federal licenciado Ney Leprevost (PSD), se elegeu vereador de Curitiba
*Fatima Nunes (PSD), esposa do deputado estadual licenciado Marcio Nunes (PSD), se elegeu vice-prefeita de Campo Mourão, na chapa encabeçada por Tauillo Tezelli (CIDADANIA)

Não eleitos:

*Tatiana Fruet (Pros), esposa do deputado estadual Soldado Fruet (Pros), não se elegeu prefeita de Foz do Iguaçu
*Akemi Nishimori (PL), esposa do deputado federal Luiz Nishimori (PL), não se elegeu prefeita de Maringá
*Carol Arns (PODE), filha do senador Flávio Arns (PODE), não se elegeu prefeita de Curitiba
*Yared Filho (PL), filho da deputada federal Christiane Yared (PL), não se elegeu vereador de Curitiba
*Jilcy Rink (PL), mãe do vereador de Curitiba Paulo Rink (PL), não se elegeu vice-prefeita de Curitiba, na chapa encabeçada por Christiane Yared (PL)
*Rafaela Lupion (DEM), prima do deputado federal Pedro Lupion (DEM), não se elegeu vereadora de Curitiba
*Rodrigo Reis (PSL), filho da vereadora de Curitiba Julieta Reis (DEM), não se elegeu vereador da capital
*Roberto Aciolli (PV), pai do vereador de Curitiba Cristiano Santos (PV), não se elegeu vereador da capital
*Iza Galo (PSL), filha do deputado estadual Galo (PODE), não se elegeu vereadora de Curitiba
*Michelli Recalcatti (PSD), sobrinha do deputado estadual Delegado Recalcatti (PSD), não se elegeu vereadora de Curitiba
*Mônica Braga Côrtes (PODE), prima do vereador de Curitiba Felipe Braga Côrtes (PSD), não se elegeu vereadora da capital
*Octavio Boscardin Borghetti (PP), primo da deputada estadual Maria Victoria (PP), não se elegeu vereador de Curitiba.