O horário eleitoral gratuito destinado aos candidatos à prefeitura de Curitiba começa a ser veiculado nesta sexta-feira (9) no rádio e na televisão. O pontapé inicial da propaganda nas emissoras de rádio, às 7h da manhã, teve para a maioria dos concorrentes tom ameno e de apresentação. Entre os que tinham menos tempo, a aposta foi em direcionar os eleitores às redes sociais.

ELEIÇÕES 2020 – Veja o guia completo com os candidatos de Curitiba, RMC e Litoral nas eleições de 2020

Apenas o candidato do PSL, Fernando Francischini, fez críticas claras à atual gestão da cidade. Já o candidato do Novo, Dr. João Guilherme, aproveitou o tempo para criticar o financiamento de campanhas com dinheiro público. Houve ainda candidatos que, mesmo tendo direito ao horário gratuito, perderam o prazo para enviar os programas às emissoras.

Com direito ao maior tempo, o atual prefeito Rafael Greca (DEM) usou os 3 minutos e 16 segundos para destacar de forma genérica sua gestão no momento de pandemia. Em tom já conhecido pelos eleitores, o prefeito usou versos e rimas: “vamos vencer essa pandemia de cabeça erguida, em breve virá o abraço. A mim, nunca sobrevirá o cansaço”. “Saber o que uma cidade precisa não é difícil. Agora, saber fazer, é outra história”, diz a propaganda.

Já Fernando Francischini (PSL), com direito ao segundo maior tempo, 1 minuto e 58 segundos, dedicou boa parte do programa para criticar a gestão atual. “Queremos um prefeito que se esconde atrás de piadas, ironias e gracejos?” questiona. O postulante do PSL também criticou o que chamou de omissão de Rafael Greca no período de pandemia. “Tivemos um prefeito omisso quando a gente precisava de alguém que estivesse sempre ali na linha de frente”. Francischini, que é delegado de polícia licenciado, também usou o tempo para destacar que foi responsável pela prisão de traficantes, defensor da Operação Lava Jato e do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

LEIA MAIS – Ibope / RPC divulgam a primeira pesquisa para prefeitura de Curitiba

Paulo Opuszka (PT), se apresentou de forma mais jovem, com frases como “partiu fazer a Curitiba que cuida da gente” e fundo musical em ritmo de funk ao longo de 1 minuto e 4 segundos de inserção. Concorrendo pela primeira vez, o postulante petista usou tom pessoal, de apresentação, sem propostas específicas.

No mesmo tom intimista, Christiane Yared (PL), com 50 segundos, falou sobre sua trajetória fora da política, como mãe e empresária e relembrou a morte do filho em um acidente de carro, motivo que a fez entrar para a política. “Quando tudo aquilo aconteceu, lutar para mudar as coisas se tornou o motivo da minha vida”, diz a propaganda.

João Arruda (MDB), com apenas 48 segundos, preferiu se apresentar aos eleitores e convidá-los a acessarem suas plataformas nas redes sociais. A mesma estratégia foi usada por Carol Arns (PODE), que teve 23 segundos.

LEIA AINDA – Greca, Ratinho e Bolsonaro: quem têm a melhor avaliação entre os eleitores de Curitiba?

Em 35 segundos, Goura (PDT) levantou, de forma genérica, suas principais bandeiras: “sempre quis transformar Curitiba numa cidade onde a gente pudesse pedalar, caminhar, ver a natureza preservada. Precisamos fazer com que a cidade seja boa para todos”, diz.

Já o partido Novo, do candidato Dr. João Guilherme, aproveitou os 13 segundos a que tinha direito para criticar o sistema eleitoral: “eles chamam o horário eleitoral de gratuito, mas na verdade ele é pago por você”, diz a propaganda.

Por fim, Professor Mocellin, candidato do Partido Verde, com 9 segundos, falou sobre fazer Curitiba uma cidade mais sustentável.

Camila, Letícia e Marisa faltaram no rádio

Camila Lanes, do PCdoB, Letícia Lanz, do Psol e Marisa Lobo, do Avante, que também tinham direito ao horário eleitoral gratuito não enviaram os materiais às emissoras. Procurados pela reportagem da Gazeta do Povo, os três partidos afirmam que tiveram problemas, e que buscam regularizar a situação.

VEJA AINDA – Candidatos à prefeitura de Curitiba revelam suas propostas para a educação

Diogo Furtado (PCO), Eloy Casagrande (Rede), Professora Samara (PSTU) e Zé Boni (PTC) não têm acesso à propaganda gratuita em rádio e tevê, porque, nas eleições de 2018, seus partidos não atingiram a cláusula de desempenho instituída pela Emenda Constitucional 97/2017. Essa é a primeira eleição em que a regra entra em vigor.

O horário eleitoral gratuito será veiculado por 35 dias, até 13 de novembro, antevéspera do primeiro turno das eleições. Durante esse período serão transmitidos, de segunda a sábado, dois blocos de propaganda exclusiva para candidatos a prefeito, com dez minutos cada. No rádio, os horários vão das 7h às 7h10 e do meio-dia às 12h10. Na televisão, das 13 h às 13h10 e das 20h30 às 20h40.