O Fluminense deu um passo enorme para encerrar um jejum de sete anos sem conquistar o título carioca. Neste domingo, goleou o Botafogo por 4 a 1 no Engenhão e abriu ampla vantagem na decisão. O técnico Abel Braga, porém, pede pés nos chão ao seu elenco e evita a euforia, lembrando que tudo é possível no jogo de volta.

“Estamos felizes, não eufóricos. Demos um passo muito grandes, mas tenho um respeito muito grande ao time do Botafogo, ao seu treinador e ao seu torcedor. Foi uma vantagem conquistada no campo e vamos ter que saber administrar. Da mesma maneira que vencemos hoje (domingo) podemos perder domingo”, lembrou o treinador.

Antes do jogo ele já dizia que não ter nenhum jogador expulso era fundamental. E acabou sendo mesmo, uma vez que o Flu ficou com um a mais em campo depois que Lucas recebeu o cartão vermelho.

“Ficamos com um jogador a mais, começamos a tocar a bola, obrigar o Botafogo a correr de um lado para o outro. No último passe, a diagonal do Thiago (Neves), do Sóbis, e depois do menino (Marcos Júnior), foi muito boa, muito positiva”, avaliou o treinador.

“Não tenha duvida que se 11 contra a 11 já é difícil, com um a menos é muito ruim. Era um jogo de equilíbrio, tínhamos que começar e terminar o jogo com 11. Na parada técnica do segundo tempo, os jogadores até pediram para tirar o Carlinhos que estava com cartão amarelo, mas eu não tinha o Carleto no banco”, revelou Abel.