Em um trabalho intenso para exaltar o espírito mais tradicional do Reino Unido, a cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Londres transformará o Estádio Olímpico de Stratford em uma tradicional paisagem dos campos ingleses, repletos de vacas, cabras e ovelhas.

A terceira Olimpíada sediada na capital britânica em mais de cem anos da Era Moderna dos Jogos será iniciada em 27 de julho, com uma cerimônia que terá um orçamento de 27 milhões de libras (cerca de R$ 87 milhões) para recriar uma paisagem legitimamente inglesa.

Aproximadamente 10 mil voluntários que passaram meses ensaiando a coreografia desenvolvida pelo cineasta britânico Danny Boyle se juntarão no dia da cerimônia a dezenas de animais: 12 cavalos, três vacas, duas cabras, dez galinhas, dez patos e um rebanho de 70 ovelhas com seus respectivos cães pastores.

Com a proximidade do início dos Jogos, os organizadores vão revelando os detalhes de uma cerimônia da qual, até agora, só se sabia que teria apelo ambiental.

Nos últimos dias, foram revelados novos detalhes sobre a cerimônia, como a participação do ex-beatle Paul McCartney, que confirmou presença após meses de indecisão.

O Comitê Organizador (Locog) colocou a venda na semana passada a última remessa de ingressos para assistir à cerimônia. Os preços vão de 995 libras (R$ 3.205), no caso das mais baratas, a 2.012 libras, no preço das mais caras (R$ 6.481).

Diretor de filmes como “Quem quer ser um milionário?” e “Trainspotting – Sem Limites”, Boyle assumiu o desafio de dirigir um espetáculo que, segundo suas próprias palavras, deseja “recriar a imagem do Reino Unido como nação”.

A cerimônia, que terá audiência de 1 bilhão de espectadores, de acordo com o Locog, servirá para dar as boas-vindas aos mais de 10 mil atletas, que competirão em 39 modalidades.

Um sino de 23 toneladas marcará o início de uma cerimônia que contará também com diversas referências à obra de William Shakespeare. O instrumento, de dois metros de altura e três de largura, foi fabricado na fundição Whitechapel Bell Foundry, a mesma que em 1858 criou o sino do Big Ben, que pesa 13,7 toneladas.

“Não tenha medo, a ilha é cheia de ruídos”, diz um trecho de “A tempestade”, de Shakespeare, gravada no sino que foi instalado no Estádio de Stratford, ao leste da capital britânica, na semana passada.
Faltando 44 dias para a inauguração dos Jogos de Londres, a capital britânica enfrenta a reta final de preparação com uma admirável confiança em seu sistema de transporte público, que suportou sem problemas o movimento de milhões de pessoas durante a comemoração dos 60 anos de Elizabeth II no trono inglês, também na última semana.

A segurança continua preocupando as autoridades britânicas, que nos últimos dias confirmaram que existem planos para instalar mísseis terra-ar nos terraços de alguns edifícios de Londres como parte do esquema de segurança que custou cerca de 700 milhões de euros.

Com a tocha olímpica percorrendo o Reino Unido desde 18 de maio, os britânicos foram às ruas do país e mostraram pela primeira vez um espírito olímpico que até agora permanecia tímido, devido a preocupação pelas possíveis aglomerações que os Jogos causarão na cidade.