Para o técnico Adilson Batista, o empate contra o Santos, atual campeão sul-americano, na Vila Belmiro, é um resultado “normal”. Ainda mais quando se joga com um jogador a menos desde meados do primeiro tempo (Carlinhos foi expulso). Na opinião do treinador do São Paulo, o seu time se portou bem neste domingo, no empate em 1 a 1.

“A gente sabe do potencial 11 contra 11, ainda mais com um a menos. O time exerceu uma marcação boa, rodamos bem e fizemos (marcação) individual com o Piris. Tivemos as dificuldades normais do segundo tempo. Poderíamos ter segurado um pouquinho para retardar o jogo, mas faz parte do jogo”, analisou o treinador são-paulino.

Adilson também comentou sobre as dificuldades impostas pela expulsão de Carlinhos Paraíba. “Nos minutos finais do primeiro tempo, a gente optou por trazer o Cícero (para o meio), e ele fez bem a função. Já no segundo tempo, você fica sobrecarregado, o Dagoberto voltando, ajudando, uma hora sobrecarrega. Não tem força para o contra-ataque, e por isso coloquei o Henrique”, explicou.

Enquanto os torcedores enxergam que o São Paulo não venceu seus quatro últimos compromissos no Brasileirão, Adilson procura o lado positivo da série de empates: “Estamos há seis jogos sem perder”.

O treinador sabe que o São Paulo desperdiçou pontos preciosos contra times de menor expressão e quer que no segundo turno isso não aconteça. “A gente lamenta alguns pontos perdidos, mas não da pra ficar alimentando mais. Jogamos alguns pontos fora, mas outros times também. Houve um equilibro. Vamos tentar recuperar o segundo turno”, garantiu. Na abertura do returno, quarta, o São Paulo recebe o Fluminense, adversário que venceu em maio.