Depois de uma semana de silêncio e muita controvérsia, Adriano falou. Não fugiu de nenhuma pergunta durante a coletiva que durou quase 30 minutos, nesta sexta-feira, na Gávea. O atacante do Flamengo transmitiu sinceridade ao responder as perguntas e só se mostrou irritado quando abordado sobre o uso de drogas ilícitas.

“Se eu usasse drogas eu seria pego no antidoping. Eu sou uma pessoa normal como todo mundo. Não posso tomar uma cerveja? De repente é porque eu vou à favela e todo mundo associa: se eu vou lá, eu devo usar drogas”, reclamou o jogador. “Nunca usei, nunca provei. Isso que me deixa chateado. Preocupa-me é a minha família, os meus filhos”.

Adriano também comentou o episódio envolvendo sua namorada, que o afastou dos últimos jogos do Flamengo. “Não houve agressões. Ela estava certa, só queria o meu bem. Os jogadores queriam conhecer minha comunidade e ficamos lá umas duas horas e meia. Eu não tinha chegado em casa e qualquer mulher ia ficar preocupada. Ela chegou me empurrando, e discutiu um pouco com o [goleiro] Bruno”, contou.

O atacante disse não ter medo de perder a vaga na Copa por causa do incidente. “Não temo sobre convocação. Sinceramente não. As pessoas que me conhecem realmente sabem como sou. Estou muito tranquilo. Estou até feliz, porque vi o tanto de gente que quer meu bem”, afirmou.

Ele revelou ainda o teor da conversa com o técnico Dunga e o auxiliar Jorginho. “O Dunga conversou comigo de maneira geral. Pediu para tomar cuidado, se cuidar um pouco mais. Ele me conhece muito bem. O Jorginho me encontrou na praia. Cumprimentou-me, falou que está comigo, que não está dando bola para o que está saindo. Para ficar tranquilo”.

Adriano também desmentiu os boatos sobre o seu peso, que estaria muito acima do ideal. “Meu peso ideal é 99 quilos e engordei dois quilos nesse tempo que fiquei parado. Estou com 101 quilos. Sinceridade. Falaram que eu estava com 106. Não é verdade”, ressaltou.