A parceria Atlético/Adriano ainda não rendeu os resultados esperados por ambos. Esportivamente falando, o Imperador esteve em campo por 18 minutos apenas e tocou uma vez apenas na bola. Financeiramente o resultado foi igualmente frustrante. Para o Atlético os lucros até agora são irrisórios, já que efetivamente nenhum contrato foi assinado. Contudo, a exposição do clube foi enorme. Para Adriano o lucro resume-se ao salário mensal.

Embora o quadro pareça desanimador, Cleverson Passos, sócio da ROI Esportes – empresa responsável pela vinda de Adriano – se mostra otimista. “Temos alguns parceiros comerciais agendados, mas são coisas que demoram um pouco para acontecer. Estamos esperando que ele entre em campo, comece a aparecer, para daí assinar contrato”, explicou à reportagem Tribuna 98.